Mulheres reclusas aumentaram 36,5% nos últimos oito anos

As estatísticas mostram ainda que os jovens internados em centros educativos diminuíram 31,9% entre 2010 e 2018, passando de 226 para 154.

Foto
paulo pimenta

As mulheres reclusas aumentaram 36,5% nas prisões portuguesas nos últimos oito anos, totalizando 828 no final de 2018, indicou nesta segunda-feira a Direção-Geral da Política de Justiça (DGPJ).

As estatísticas daquele organismo do Ministério da Justiça avançam que o número de reclusos nos estabelecimentos prisionais aumentou 10,8% entre 2010 e 2018, passando de 11.613 para 12.867.

No entanto, sublinha a DGPJ, este aumento “não é uniforme”, tendo-se verificado um aumento de 36,5% de mulheres reclusas e de 14,5% dos homens.

Segundo as estatísticas, que mostram a evolução dos reclusos e dos jovens internados em centros educativos nos últimos oito anos, as mulheres detidas passaram de 627 em 2010 para 828 no final de 2018, enquanto os homens passaram de 10.986 para 12.039.

A DGPJ indica também que a maior parte dos reclusos tem entre 25 e 39 anos, apesar de os presos com mais de 40 anos terem sofrido um ligeiro aumento entre 2010 e 2018.

De acordo com os dados divulgados pela DGPJ, 77% dos reclusos tem o ensino básico, registando-se entre 2010 e 2018 uma ligeira redução dos presos com graus de instrução inferiores ao do ensino básico.

Esta redução é compensada, em parte, pelo aumento verificado nos reclusos que têm o ensino superior, que em 2010 representava 1,2% e em 2018 passaram a representar 2,5%.

A DGPJ refere igualmente que diminuíram nos últimos oito anos os reclusos detidos por crimes relacionados com droga (5,3 pontos percentuais) e contra a vida em sociedade (0,8 pontos percentuais).

Por sua vez, aumentaram os reclusos que cometeram crimes contra as pessoas (0,8 pontos percentuais) e contra o património (5 pontos percentuais).

As estatísticas mostram ainda que os jovens internados em centros educativos diminuíram 31,9% entre 2010 e 2018, passando de 226 para 154. A DGPJ destaca ainda que há um aumento do peso dos jovens com idades iguais ou inferiores aos 17 anos.