Presidente da Câmara de Condeixa é arguido por ter entregue obras a amigo

Socialista Nuno Moita da Costa pertencia ao grupo de convívio “Os Pingas”, com ligações à maçonaria. Na mesma altura era dirigente do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça. Nega ter cometido crimes.

,Tribunal
Foto
Palácio da Justiça de Vila Nova de Gaia Nelson Garrido

O presidente da Câmara de Condeixa-a-Nova, o socialista Nuno Moita da Costa, é arguido num processo relacionado com a entrega de empreitadas a um amigo. O caso remonta a 2009, altura em que este economista se tornou vogal do conselho directivo do organismo responsável pelas obras do Ministério da Justiça, o Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ).