Sporting bate Benfica na Luz e apresenta-se ao tetracampeonato

“Leões” e “encarnados” terminaram os 40 minutos regulares empatados a três golos, mas os visitantes ao Pavilhão da Luz marcaram o golo da diferença (4-5) no prolongamento.

Foto
O festejo de Fernando Cardinal quando marcou um dos golos do Sporting FPF/Liga Sportzone

Jogar em casa ou fora de portas mostra ser cada vez mais um factor irrelevante no futsal, especialmente quando se trata dos jogos das finais do campeonato. O Sporting derrotou esta sexta-feira Benfica no Pavilhão da Luz por 4-5 no primeiro e intenso encontro da fase final da principal prova nacional, que precisou de ir a prolongamento. Os “leões” ficam a duas vitórias de se sagrarem tetracampeões nacionais da modalidade, na mesma temporada que conquistaram o título Europeu e a Taça de Portugal.

Surpreendente é a palavra-chave da primeira parte. Com ainda muitos adeptos a entrarem no pavilhão “encarnado”, o Sporting inaugurou o marcador nos primeiros segundos da partida. O guarda-redes dos “leões”, Guitta, ultrapassou a linha divisória e rematou potente e rasteiro. O guardião brasileiro iria fazer uma primeira parte memorável – negou todas as várias tentativas de golo do Benfica, que sempre em desvantagem no marcador ao longo de toda a partida teve mais bola, e fez o 0-2 aos 18’.

O Benfica insistia até que replicou a entrada forte do Sporting na partida nos segundos 20 minutos e conseguiu bater Guitta em pouco tempo com golos de André Coelho (21’) e Fits (24’). Ainda a faltarem 10 minutos para o fim do tempo regulamentar na Luz, os “encarnados” já somavam quatro faltas cometidas e na reposição de bola a essa quarta infracção, Cardinal fez o 2-3 aos 32’ depois de rodar sob Fábio Cecílio e ficar enquadrado com a baliza ao lado direito. Dois minutos depois, o Benfica voltava a empatar a partida (3-3) por Miguel Ângelo, numa jogada corrida que o encontrou isolado à esquerda para finalizar.

No prolongamento, era tempo de horas extraordinárias, mas a equipa da casa deitou por terra a “corrida” feita para alcançar o Sporting no marcador por duas vezes ao longo de 40 minutos. Aos 41’, João Matos faz o 3-4 para os “leões” depois de Fernandinho ter aliviado mal uma bola que resvalou no guarda-redes do Benfica. O capitão do Sporting só precisou de encostar.

Ambos os treinadores, Joel Rocha (Benfica) e Nuno Dias (Sporting), apostaram muito na saída dos guarda-redes entre os postes, mas a opção sorriu muito mais aos “leões”. O Sporting chegou ao quinto e último golo na Luz com um golo de Erick Mendonça (3-5), depois de Guitta ter arremessado uma bola para Dieguinho que conseguiu dominar em dificuldades no canto esquerdo da área defensiva do Benfica e passar para o colega fazer uma finalização fácil.

A 40 segundos do fim, o Benfica recorre ao “cinco para quatro”, com Bruno Coelho a ser o guarda-redes avançado, levando ainda os “encarnados” a reduzir a desvantagem (4-5) por Fernandinho numa insistência apoiada pela vantagem numérica.

O Benfica, por ter vencido a fase regular e uma melhor classificação que o Sporting, beneficia de ter mais jogos no seu pavilhão para esta final (este foi o primeiro de três encontros possíveis). Porém, perdeu a oportunidade de estar na frente da decisão do título, que prossegue na quadra “leonina” na próxima quinta-feira