Morreu o físico Gaspar Barreira, fundador do LIP

Gaspar Barreira foi um dos fundadores do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas.

,Acelerador de partículas
Foto
Acelerador de partículas do CERN (arquivo) LUSA/VALENTIN FLAURAUD

O físico português Gaspar Barreira morreu na noite passada, aos 79 anos, revelou neste sábado o presidente do Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), Mário Pimenta.

Em comunicado, publicado no site do LIP, Mário Pimenta salientou que Gaspar Barreira deixou “um imenso legado de visão, resistência e resiliência”. “Trabalhou como poucos na construção de um Portugal onde Conhecimento, Liberdade e Racionalidade foram decisivos, antes e depois da Revolução de 25 de Abril de 1974”, evidenciou.

Gaspar Barreira foi um dos fundadores do LIP e, ao longo dos últimos 30 anos, “dedicou-lhe grande parte de sua imensa energia”, acrescentou.

“O seu último grande projecto e entusiasmo, a instalação em Portugal de um centro de tratamento e investigação sobre terapias para cancro com protões, ainda não foi realizado. Por isso, vamos esforçar-nos”, acrescentou Mário Pimenta.

Gaspar Barreira nasceu em Braga a 4 de Maio de 1940 e estudou Física e Matemática na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Foi um opositor político durante a ditadura e esteve preso em Peniche.

Em 1980, começou uma colaboração com o Centro Internacional de Física Teórica, em Trieste, e esteve envolvido na adesão de Portugal ao CERN - Laboratório Europeu de Física de Partículas em 1985.

Na sequência da entrada de Portugal para o CERN como membro de pleno direito, criou em 1986, juntamente com Mariano Gago, o Laboratório Português de Física Experimental de Partículas (LIP)​, uma associação científica com delegações em Lisboa e Coimbra, que realiza investigação no campo da física experimental de altas energias e da instrumentação associada, colaborando com diversas entidades internacionais.

Inspirador de geração de engenheiros

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, recordou o físico Gaspar Barreira como um elemento inspirador de uma geração de engenheiros em Portugal. “Foi um dos principais elementos de Portugal no CERN e sem ele Portugal não teria formado uma comunidade de engenheiros”, afirmou, durante uma intervenção no Luso 2019, o Encontro Anual de Investigadores e Estudantes Portugueses no Reino Unido, a decorrer em Londres.

Sem se ter dedicado a uma carreira académica, o físico foi coordenador de programas científicos e esteve envolvido no desenvolvimento de projectos e empresas portuguesas com alcance internacional. “Se Portugal é hoje um recebedor nato de financiamento europeu, não só através do CERN mas também da ESA [Agência Espacial Europeia], isso deve-se em particular ao trabalho de Gaspar Barreira”, vincou Heitor.

Numa mensagem, a directora geral do CERN, Fabiola Gianotti, diz-se “profundamente chocada”. “Estou muito triste. Perdemos um grande amigo do CERN e da física de partículas, um cientista excelente e uma pessoa verdadeiramente única”, acrescentou.

Gaspar Barreira foi representante oficial de Portugal em diversas organizações científicas internacionais, tendo coordenado diferentes programas de cooperação científica e tecnológica internacional.

Em 2006 recebeu a Ordem do Infante D. Henrique pelo seu contributo para a internacionalização da Investigação Científica Portuguesa.