Risco de incêndio dispara nos próximos dias com temperaturas a chegar aos 37ºC

Pelo menos até este domingo, avisa a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil, esperam-se condições favoráveis à ocorrência e propagação de incêndios, em especial nas regiões do Centro e Sul.

Conflagração
Foto
Rui Gaudencio

Nos próximos dias e pelo menos até domingo, o cenário de muito calor previsto pelo IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera) vai traduzir-se num aumento do risco de incêndio, com condições favoráveis à rápida propagação de fogos rurais, alerta Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC).

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, prevê-se para os próximos dias a continuação de tempo quente e seco, com persistência de condições meteorológicas gravosas para o risco de incêndio, em especial nas regiões do Centro e Sul.

Esta sexta-feira, as temperaturas vão variar entre os 20 e os 35 graus Celsius em Lisboa, em Setúbal entre os 37 e os 16, em Leiria entre os 33 e os 15, em Évora entre os 16 e os 36, em Castelo Branco entre os 18 e os 34 e em Braga entre os 35 e os 16. O Porto registará uns relativamente amenos 27 graus de máxima e 19 de mínima.

Este sábado, as temperaturas mínimas no continente vão oscilar entre os 13 graus Celsius (em Braga e Leiria) e os 22 (em Portalegre) e as máximas entre os 26 (em Sines) e os 37 (em Évora).

Para domingo, em Lisboa, o IPMA prevê que as temperaturas variem entre os 20 e os 35 graus Celsius, em Braga entre os 12 e os 30, em Castelo Branco entre os 18 e os 34, em Évora entre os 17 e os 37 e em Portalegre entre os 21 e os 33.

Em comunicado, a ANEPC afirma que a continuação de tempo quente e seco se traduzirá em valores de temperatura acima do normal para a época, “em especial nas regiões Centro e Sul”, em vento predominante do quadrante Leste, “soprando moderado a forte nas terras altas (até 45 km/h) até ao final da manhã e voltando a intensificar a partir do final da tarde (em especial nas regiões do Algarve e Trás-os-Montes)” e em baixos teores de humidade relativa do ar (HRA)”.

Segundo a entidade, a percentagem de água no solo não sofreu alterações nos últimos dias, mantendo-se inferior a 20% na generalidade da região a Sul do rio Tejo e nas regiões do interior Norte e Centro.

Para os locais onde o índice de risco temporal de incêndio seja igual ou superior ao nível muito elevado, a ANEPC avisa que não é permitido o uso de fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural, “salvo se usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito”, e lançamento de balões com mecha acesa e de foguetes. A autoridade proíbe também o acto de fumigar ou desinfestar em apiários “excepto se os fumigadores tiverem dispositivo de retenção de faúlhas”.

Devido às altas temperaturas registadas em vários distritos do continente esta quinta-feira, o IPMA colocou em alerta máximo de incêndio os municípios de Tavira, Silves, Loulé, São Brás de Alportel e Alcoutim (Faro), Gavião (Portalegre), Sardoal e Mação (Santarém), Vila de Rei (Castelo Branco) e Figueira de Castelo Rodrigo (Guarda).