Dez sugestões para (não) se perder nas Festas de Lisboa

Espectáculos, tradições, ciclos, exposições, arraiais e festivais. São centenas as propostas a partir de 1 de Junho. Aqui tem uma dúzia, à vontade do freguês e quase sempre sem pagar.

,Carnaval
Foto
José Frade

Marchar, marchar
A exibição dos marchantes (e do bairrismo) é ponto alto e inescapável de quaisquer Festas de Lisboa. Todos os bairros querem levar para casa o troféu de melhor marcha popular e esmeram-se nos arcos, na música, nas coreografias. Quanto ao público, pode já começar a ensaiar, para entoar com eles, a Grande Marcha de Lisboa que o jornalista Augusto Madureira escreveu para este ano, intitulada Lisboa, alegre e triste. É que a competição não é tão cerrada que impeça que todos cantem uma mesma canção, como manda a tradição desde os anos 1930.

Altice Arena (exibição)
De 7 a 9 de Junho, às 21h.
Bilhetes a 6€
Avenida da Liberdade (desfile)
Dia 12 de Junho, às 21h.

Grátis
Praça do Império e Jardim Vieira Portuense (marchas infantis)
Dia 15 de Junho, às 17h.
Grátis

PÚBLICO -
Filipe Casaca
PÚBLICO -
Pedro Cunha
PÚBLICO -
Sandra Ribeiro
Fotogaleria
Filipe Casaca

Arraiais, arraiais, arraiais

Parece não haver canto da cidade sem o seu arraial e as festas invadem Lisboa pelos bairros tradicionais e não só. Sardinha assada, caldo verde, bailaricos fazem a santa trilogia. Depois, há mil e uma variações, mais ou menos modernas, com música para todos os gostos. Especialmente das vésperas do dia de Santo António e pelo fim-de-semana fora, não faltam propostas. Eis algumas:
Santa Maria Maior (Alfama, Baixa, Castelo, Mouraria): Centro Cultural Dr. Magalhães Lima no Largo do Salvador, Grupo Desportivo da Mouraria no Largo da Severa, Grupo Sportivo Adicense na Calçadinha da Figueira, Sociedade Boa União no Beco das Cruzes
São Vicente: Centro de Cultura Popular de Santa Engrácia na Calçada dos Barbadinhos, Voz do Operário (e pelos largos de São Vicente e Graça)
Graça: Arraial da Vila Berta
Misericórdia: Corpo Nacional de Escutas Agrupamento 48 Santa Catarina Espaço do Olival, Grupo Desportivo Zip Zip e no Marítimo Lisboa Clube
Estrela: Grupo Dramático Escolar “Os Combatentes” na Rua do Possolo, Rua Vicente Borga, Jardim de Santos, Praça da Armada, Largos do Chafariz da Esperança e Vitorino Damásio
Alcântara: Academia de Santo Amaro
Campolide: Associação Viver Campolide na Rua de Campolide, Quinta do Zé Pinto, frente ao Parque  de estacionamento  da EMEL
Alvalade: Arraial de Santo António – Santos Populares em Alvalade (Parque de Jogos 1.º de Maio
Benfica: Associação Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista na Rua das Azáleas
Carnide: Associação de Pais e Encarregados de Educação do Agrupamento de Escolas do Bairro Padre Cruz no Largo junto ao Auditório Natália Correia e no Carnide Clube no Largo do Coreto
Olivais: Associação Desportiva e Cultura da Encarnação e Olivais, Grupo Musical  “O Pobrezinho” e Ingleses Futebol Clube
Parque das Nações: Grupo Recreativo Centieirense  

 

PÚBLICO -
Foto
As sardinhas vencedoras deste ano

Ir à sardinha

Comê-las no pão ou no prato faz parte da festa. Vê-las também. A exposição 100% Sardinha mostra quanta criatividade pode caber neste peixe tão popular – ou melhor, na sua silhueta. Alojamento local, plástico no mar e feminismo são alguns dos temas tratados pelos desenhadores, profissionais ou amadores, que participaram no concurso (este ano, até escolas entraram na corrida).
Espaço Trindade
De 1 a 30 de Junho, das 14h às 22h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Ana Moura Miguel Madeira

Fazer coro com o fado

Se a cultura lisboeta radica no fado e o Castelo de São Jorge é obrigatório no postal, nada como juntar os dois num ciclo de concertos. Mais do que convidar artistas, o Fado no Castelo tem-lhes lançado desafios originais. Este ano, cabe a Ana Moura e Raquel Tavares mostrarem o resultado da junção das suas vozes às do grupo Sopa de Pedra e do Gospel Collective, respectivamente.
Castelo de São Jorge
Dias 14 (Moura) e 15 de Junho (Tavares), às 22h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Cosplay Rui Farinha/NFactos

Viajar ao Japão
Nem tudo é Lisboa nas festas. O Festival do Japão convida a viajar a este país através das expressões culturais nipónicas, sejam tradicionais ou modernas. Em demonstrações, workshops e espectáculos, há lugar para cosplay, artes marciais, música, gastronomia e muito mais.
Jardim Vasco da Gama
Dia 22 de Junho, das 14h às 22h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
José Frade

Andar a Com'Paço
As bandas filarmónicas não faltam à chamada. São elas que protagonizam o ciclo Com'Paço, levando a espaços públicos da cidade repertórios variado, da música clássica à mais popular. Este ano, chegam de Alcácer do Sal, Coruche, Crato, Lisboa, Oliveira de Azeméis e Paredes. E vão andar pelos jardins da Estrela e do Arco do Cego até ao grande concerto final, com 400 músicos a homenagearem Fernão de Magalhães na Alameda D. Afonso Henriques.
Jardim da Estrela, Largo Arco do Cego e Alameda D. Afonso Henriques
Dia 22 de Junho, às 17h30 (jardins) e 22h (Alameda).
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Rita Torres

Entrar no arraial
Não há freguesia sem seu arraial. Nem véspera de Santo António que os dispense. Mas há um que sobressai pela diferença, pelo colorido e pela afluência (em 2018, recebeu cerca de 70 mil pessoas): o Arraial Lisboa Pride. Convoca gente de todos os géneros e orientações para uma maratona de celebração da liberdade, da igualdade e da diversidade. Além do palco, a que sobem artistas como Johnny Hooker​, Batida​ ou Da Chick, proporciona uma imensa pista de dança e uma série de actividades paralelas, sem esquecer um Arraialito para as crianças e um Arraial Maior para os seniores.
Praça do Comércio
Dia 22 de Junho, das 16h às 4h.
​Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Quinta das Conchas Rita Baleia

Ir à quinta ver filmes
Filmes ao ar livre, de qualidade, a custo zero. São estas as razões de sucesso do Cineconchas, o ciclo de cinema que todos os anos convida a visitar à noite o Parque da Quinta das Conchas e dos Lilases. Outro bom motivo é a variedade: há títulos para todos os gostos e idades. A 12.ª edição abre com a A Revolução Silenciosa de Lars Kraume e fecha com Como Treinares o Teu Dragão: O Mundo Secreto. Entre eles, são projectados na tela gigante Hunter Killer, Ralph vs Internet, Todos Sabem, Viúvas, Green Book - Um Guia para a Vida, Cold War - Guerra Fria e Bohemian Rhapsody.
Quinta das Conchas
De 27 e Junho a 13 de Julho. Quinta a sábado, às 21h45.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Luís Branco

Celebrar a diversidade
Foi há 20 anos que se realizou, pela primeira vez, a Festa da Diversidade. Por um lado, procura “trazer para o espaço público o trabalho desenvolvido por muitas associações e artistas da periferia"; por outro, “combater qualquer tipo de discriminação (...), o preconceito, o racismo, a xenofobia, a homofobia e o machismo”. A música, a dança, a gastronomia e os discursos contribuem para os propósitos.
Ribeira das Naus
Dias 29 e 30 de Junho. Sábado, das 16h à 1h: domingo, das 16h às 24h.
Grátis

 

PÚBLICO -
Foto
Conan Osiris Nuno Ferreira Santos

Ouvir variações de Variações
Ana Bacalhau, Conan Osiris, Lena d’Água, Manuela Azevedo, Paulo Bragança e Selma Uamusse a cantar António Variações com a Orquestra Metropolitana de Lisboa? Sim, no concerto inédito que encerra oficialmente as Festas de Lisboa. Ao palco vai a reinterpretação de um punhado de canções do artista que, nos anos 1980, fez música “entre Braga e Nova Iorque” e marcou o seu tempo por estar à frente dele. Na ficha técnica de António & Variações entram também o coro Gospel Collective, o acordeonista João Gentil e, na orquestração, Filipe Melo, Filipe Raposo e Pedro Moreira.
Jardim da Torre de Belém
Dia 29 de Junho, às 22h.
Grátis

 

Guia do Lazer

O seu roteiro de espectáculos, exposições, festas e muito mais