Villas-Boas encara mudança para Marselha como um “grande desafio”

O treinador português admitiu a possibilidade de ter na sua equipa técnica o antigo defesa central Ricardo Carvalho.

André Villas-Boas
Foto
André Villas-Boas DR

O treinador português André Villas-Boas encarou como um “grande desafio” a ida para o Marselha, clube de futebol pelo qual foi nesta quarta-feira apresentado, depois de ter assinado um contrato de duas épocas.

“Estou muito feliz por estar aqui. Chegar a um clube da grandeza do OM [Olympique de Marselha] é fantástico para mim. Temos um grande desafio e faremos tudo para chegar ao final no pódio”, disse o treinador português, em conferência de imprensa.

Na época passada, sob o comando de Rudi Garcia e com o defesa central português Rolando, a equipa terminou fora dos lugares que dão acesso às competições europeias, na quinta posição, com 61 pontos, menos 30 do que o bicampeão Paris Saint-Germain.

André Villas-Boas explicou ainda que nos próximos dias vai conhecer melhor o clube e também quais os jogadores em final de contrato, para analisar tudo, tendo em conta as regras do fair play financeiro.

“Vamos analisar tudo, tendo em conta o fair play financeiro e construir o melhor plantel possível para atender ao sonho dos adeptos”, avançou o antigo treinador do FC Porto, campeão em Portugal e na Rússia, com o Zenit de São Petersburgo.

O técnico disse estar convencido da “capacidade” da equipa do Marselha, manifestando a expectativa de realizar “uma boa época”.

André Villas-Boas admitiu que no Chelsea, clube que treinou em 2011/12, foi muito radical na sua filosofia, mas elogiou a “escola” do futebol francês, técnica e criativa, e disse que a respeitará.

“Não sou um treinador defensivo, quero jogar um futebol ofensivo, um pouco como o “slogan” do OM: ‘direto ao golo'”, justificou.

A nível pessoal, o técnico português disse estar feliz com a carreira, na qual procurava o clube ideal, e disse ter aprendido com a “metodologia de José Mourinho”, mas que o mais importante são “os jogadores e as pessoas” que o acompanham.

Na conferência, o técnico disse também já ter falado com Rolando, central português do Marselha, e que, entre as pessoas da sua confiança, é possível que venha a contar com o ex-futebolista Ricardo Carvalho.

“Foi meu jogador no Shanghai SIPG. Penso que fará parte do staff. É importante contar com pessoas assim”, acrescentou.

Na terça-feira, o Marselha anunciou a chegada de André Villas-Boas, depois de uma época aquém dos objectivos para o segundo clube com mais títulos em França e o único com um título europeu.

A equipa, que não ergue o troféu desde 2009/10, tem nove títulos, menos um do que o Saint-Étienne, além de ser o único clube do país a ter vencido a Liga dos Campeões, em 1992/93, época em que bateu na final o AC Milan.