Jantar do PSD em Lisboa com muitos lugares vazios

Rui Rio compara PCP e BE aos “bastardos” da “roda dos enjeitados”.

Rui Rio e Paulo Rangel chegaram juntos à escola naútica
Foto
Rui Rio e Paulo Rangel chegaram juntos à Escola Náutica LUSA/TIAGO PETINGA

Foi num pavilhão para mil lugares mas com muitas clareiras – pelo menos 15 mesas estavam vazias – que arrancou o jantar desta noite de campanha do PSD com Paulo Rangel e Rui Rio. O líder do PSD fez uma crítica dura à geringonça com uma alusão à “roda dos enjeitados”. 

O espaço da Escola Náutica Infante D. Henrique, em Paço de Arcos, demorou quase uma hora a compor-se — os sociais-democratas chegavam a conta-gotas —, mas mesmo assim ficou longe de encher totalmente. No seu discurso, Rui Rio criticou o ataque que o PS tem feito aos seus parceiros de esquerda nos últimos dias de campanha e comparou-o ao que se fazia aos filhos indesejados no século XIX, a roda dos enjeitados. “É tentar pôr a geringonça na roda dos enjeitados – não é recém-nascido nem é bastardo. Tem quatro anos de idade, tem um trabalho que tem de ser avaliado”, disse o líder do PSD.

Rio considerou que esta atitude do PS é uma “encenação eleitoral”. “Depois das legislativas, se disso precisarem, deitam a zanga ao caixote do lixo e vão buscar [PCP e BE] à roda dos enjeitados”, afirmou. 

No seu discurso, Rui Rio apontou ainda uma outra contradição ao PS, lembrando que ainda há dias o ministro Pedro Nuno Santos “parecia ter estado num comício do Bloco não só por aquilo que lá disse como pela pouca gente que lá tinha”. 

Num discurso de apelo ao voto no domingo - “convençam os vossos amigos e familiares" - o líder do PSD elogiou José Manuel Fernandes (o número dois da lista) como o “melhor eurodeputado português”. Paulo Rangel, que é de novo cabeça-de-lista, não mereceu palavras idênticas. 

Momentos antes da intervenção de Rui Rio, Paulo Rangel subiu ao púlpito para lembrar “o maior escândalo” da era José Sócrates que queria “controlar a Caixa Gerald e Depósitos e o BCP”. E atirou: “Foram os ministros do PS que deram carta-branca para Berardo tomar conta do BCP”.

O cabeça-de-lista desafiou o eleitorado a “não tolerar” essa situação. “Temos de dar sinal aos portugueses, se não queremos ingerência na autonomia no Banco de Portugal não podem votar no PS no domingo”, afirmou.

Na primeira intervenção da noite, o líder da distrital de Lisboa, Pedro Pinto, elogiou a direcção do partido por fazer “uma grande lista” de candidatos ao Parlamento Europeu. O deputado, que liderou a revolta das distritais contra a liderança de Rui Rio em Janeiro passado, deixou um apelo: “Não se assustem com as sondagens”. 

Além do mandatário nacional, Carlos Moedas, o jantar-comício também contou contou com a ex-líder do PSD Manuela Ferreira Leite. Francisco Pinto Balsemão não pôde comparecer por motivo de doença mas deixou uma mensagem de apelo ao voto no PSD.