Revolução nas habitações militares: Renda máxima sobe até 23% dos rendimentos

O regime jurídico em vigor não prevê renda mínima e prevê como renda máxima 15% dos rendimentos ilíquidos do arrendatário. Governo vai subir os valores que os militares pagam pelas casas.

João Gomes Cravinho
Foto
Governo quer alterar o valor que os militares pagam pelas casas LUSA/Jose Sena Goulao

O projecto de decreto-lei apresentado pelo ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, e que aguarda parecer das associações militares até dia 15 de Junho, sobre o regime de habitação com renda económica dos militares, prevê que a taxa de esforço máxima não possa ser superior a 23% do rendimento mensal corrigido do agregado familiar do arrendatário. Actualmente, é de 15%.