Detectada Legionella em instalações da Força Aérea em Alverca

Segundo fonte oficial, ainda não foi encontrada a fonte de contaminação. Para já, “não há militares com queixas”.

Beja
Foto
LUSA/NUNO VEIGA

As instalações do Depósito Geral de Material da Força Aérea (DGMFA), em Alverca, vão estar a funcionar com serviços mínimos, pelo menos até segunda-feira, devido à detecção da presença de Legionella, confirmou à agência Lusa fonte oficial.

“Na sequência de análises que fazemos com regularidade nas instalações da Força Aérea, foram detectados uns parâmetros acima dos valores normais e, por uma questão de prevenção e precaução, foi decidido que a unidade entrasse em serviços mínimos para proceder a todo o processo de limpeza e descontaminação”, explicou à Lusa o tenente-coronel Manuel Costa, porta-voz da Força Aérea Portuguesa.

A mesmo fonte ressalvou que “não há militares com queixas” e que ainda não foi encontrada a fonte de contaminação: “Neste momento tudo aquilo que está a ser feito é para detectar e proceder à sua eliminação”, atestou.

A previsão é que esta unidade de Alverca, no concelho de Vila Franca de Xira, esteja a funcionar em serviços mínimos, pelo menos, até à próxima segunda-feira, altura em que serão realizadas novas análises.

A doença do legionário, provocada pela bactéria Legionella pneumophila, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.