Um livro para os mais novos saberem a História da Europa e pensarem o futuro

A obra A minha História da Europa foi escrita pelos professores Elisabete Jesus e Eliseu Alves, inclui um texto de Richard Zimler e já mereceu elogios do chefe do Gabinete do Parlamento Europeu em Portugal, Pedro Valente Silva.

Foto
Daniel Rocha

Qual é a origem da Europa? Onde nasceu a democracia? Como se formaram os diferentes Estados? Como recuperou a Europa de duas guerras mundiais? Como funciona a União Europeia? As respostas a estas e outras perguntas podem ser encontradas no livro A minha História da Europa, de Elisabete Jesus e Eliseu Alves e editado pela Porto Editora. A obra inclui, ainda, um texto inédito de Richard Zimler intitulado “O Holocausto”.

A obra passa em revista várias fases da história do continente. Recorrendo a textos curtos e a ilustrações, aborda a Antiguidade Clássica, a Idade Média, os Descobrimentos, o Renascimento, a Reforma Protestante, os reis e parlamentos, as revoluções, as guerras, as democracias e ditaduras, a União Europeia, estando apenas uma página, a última, reservada aos desafios da Europa. Nessa página, ainda que de forma muito sucinta, refere-se, por exemplo, o acolhimento de refugiados, sublinham-se os valores do conhecimento, respeito, tolerância e diz-se “não à xenofobia”.

O PÚBLICO questionou os autores sobre o facto de o livro passar em revista várias fases da história do Velho Continente, mas dedicar apenas uma página breve aos desafios que a Europa enfrenta. Elisabete Jesus explicou que “pensar bem o futuro depende de um bom conhecimento do passado” e que “essa necessidade de compreender o presente e o futuro” mostra “a grande relevância de saber o que já aconteceu, de que forma e porquê”.

No entanto, acrescenta: “Mesmo tratando-se de um livro de História e de situações, como a dos refugiados ou a do Brexit, que ainda estão em aberto, não quisemos deixar de mostrar os desafios para os quais todos, enquanto portugueses e enquanto europeus, estamos convocados. Nesta perspectiva, este livro abre também esse caminho, faz essa ponte do passado, ao presente e ao futuro.”

No texto que escreveu sobre o Holocausto, um inédito de 2018, Richard Zimler lembra que “o ódio que Hitler e os seus seguidores sentiam pelos judeus era irracional, o que significa que se baseava em medos ilógicos e em mentiras. Infelizmente, há mentiras que podem motivar milhões de pessoas a cometer crimes terríveis. Os nazis mataram, ainda, milhões de outras pessoas a quem culpavam falsamente de problemas que não tinham nada que ver com elas. Entre eles, ciganos, deficientes, homossexuais, católicos polacos e testemunhas de Jeová”.

Depois de A minha História de Portugal (2014) e A minha História dos Descobrimentos (2015), A minha História da Europa é o terceiro trabalho dos professores de História Elisabete Jesus e Eliseu Alves e demorou cerca de dois anos a ser feito. Não é por acaso que é lançado num ano de eleições europeias: “Com este livro quisemos, além de alimentar o gosto pela História, trazer os temas da Europa, e naturalmente da política, pelo contexto em que estamos, para a esfera dos mais novos. São temas da actualidade e acredito que, quanto mais cedo eles despertarem para o seu conhecimento e importância, mais cidadãos conscientes e participativos teremos no futuro”, diz Elisabete Jesus. Apesar de, garantem os docentes, estar vocacionado sobretudo para a faixa etária dos 9 aos 15 anos, o professor Eliseu Alves acredita que pode despertar “o interesse e curiosidade” de públicos de outras idades.

A obra ganhará, agora, vida também junto da comunidade escolar: “O livro já está a ser comunicado às escolas e aos professores, com especial foco nos professores de História e já temos convites de várias escolas para sessões com alunos. O livro já teve o reconhecimento do chefe do gabinete do Parlamento Europeu [em Portugal], Pedro Valente Silva, que nos enviou um vídeo, dando conta da importância do livro para os mais novos”, conta Elisabete Jesus.