Arquitectura

Museu de Arte Islâmica: quando I.M. Pei transformou o simples em austero

Nelson Garrido
Fotogaleria
Nelson Garrido

As linhas simples desenham o edifício austero que ocupa cerca de 45 mil metros quadrados. O Museu de Arte Islâmica, no Qatar, é o resultado de uma jornada de I.M. Pei à volta do mundo, na tentativa de entender a diversidade da arquitectura islâmica. O arquitecto sino-americano vencedor do Pritzker em 1983 morreu na passada quarta-feira, 15 de Maio, com 102 anos. Deixou um legado de torres de habitação, museus, igrejas, centros culturais, salas de concertos: do Museu do Louvre ao de Arte Islâmica, foi, nas palavras do crítico de arquitectura André Tavares, “um arquitecto de sínteses impossíveis, que garantiu, nas circunstâncias mais desfavoráveis, que as suas obras contribuíssem para a consolidação do valor colectivo da cultura ocidental”.

Em 2008 — já com 91 anos e, supostamente, aposentado — I.M. Pei viu nascer, numa península artificial na Baía de Doha, o museu de formas geométricas aqui retratado por Nelson Garrido, fotojornalista do PÚBLICO. Inspirou-se na Mesquita de Ibn Tulun, no Egipto, para desenhar a obra que conta com cinco pisos no edifício principal e dois na Ala Educativa, unidos por um pátio central. Os blocos encaixados progressivamente resultam num átrio principal de cerca de 50 metros de altura (imagem 3 da fotogaleria). Lá no topo um “olho” capta e reflecte a luz solar, transformando o interior do edifício num jogo de luzes e sombras.

O edifício é casa para peças do século VII ao XIX, de diferentes continentes. Desde pedras preciosas, joalharia e cerâmicas a textos e manuscritos, são milhares de obras conectadas com a cultura islâmica, provenientes de casas opulentas ou humildes. A biblioteca alberga mais de dois mil livros raros, num total de 15 mil relacionados com arte islâmica. A ideia é permitir aos visitantes entrar na cultura islâmica e — à semelhança do que acontece com outras obras do arquitecto, como o Centro de Ciência de Macau — no legado de I.M. Pei. MD

Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido
Nelson Garrido