Festival Impulso espalha a nova música portuguesa pelas Caldas da Rainha

Linda Martini, Conan Osiris e Allen Halloween protagonizarão três das dezenas de concertos deste festival instalado em vários espaços da cidade e que se estende também ao cinema documental, desta quinta-feira e sábado.

Os Linda Martini actuam no dia de encerramento, sábado, e são um dos nomes fortes do festival
Foto
Os Linda Martini actuam no dia de encerramento, sábado, e são um dos nomes fortes do festival DR

Apresenta-se como montra da criatividade musical portuguesa, dando palco a certezas e a nomes da cena local e promovendo sementes de futuro que vão brotando no cenário. Deseja estimular acontecimentos únicos e irrepetíveis, que só ali terão lugar, e, para tal, oferece-se como casa para residências conjuntas de que resultarão concertos preparados exclusivamente para o festival. E ainda há cinema documental, numa parceria com o Doc Lisboa. Começa esta quinta-feira nas Caldas da Rainha o segundo Festival Impulso e Linda Martini, Conan Osiris, Sensible Soccers, DJ Marfox e Bruno Pernadas são algumas das dezenas de bandas e músicos que poderemos ver até sábado.

Nascido no ano passado para celebrar o 15.º aniversário da Licenciatura em Som e Imagem da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha (ESAD), o festival é uma criação de professores e alunos da instituição, com a apoio da Câmara Municipal local. Para a segunda edição, o Impulso expande-se pela cidade, implantando-se no Parque D. Carlos I, na Fábrica Bordallo Pinheiro, na Igreja do Espírito Santo, no Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha e, claro, no auditório da ESAD, onde serão exibidos, de manhã e ao início da tarde, os documentários musicais do Ciclo DocLisboa – A Minha Banda e Eu, de Inês Gonçalves e Kiluanje Liberdade, será o primeiro, esta quinta-feira, às 11h, e pelo auditório passarão, entre outros, Phil Mendrix, de Paulo Abreu, sexta-feira, às 14h, e Punk is not a Daddy, de Edgar Pêra, no sábado, às 14h.

Quanto aos concertos, oportunidade para ver, no Parque D. Carlos I, no dia de arranque, esta quinta-feira, HHY & The Macumbas, Bruno Pernadas, Monday e os catalães za!. Na sexta-feira, o mesmo espaço recebe Conan Osiris, Allen Halloween, Sensible Soccers, Riding Pânico, Beautify Junkyards e Nadia Schilling. No sábado subirão a palco Linda Martini, Batida, First Breath After Coma, Jasmim, Ângela Polícia e os Ubu. Será também no Parque D. Carlos I que veremos, na quinta-feira, dois dos três concertos resultantes das residências promovidas pelo Impulso.

O primeiro reúne Surma a Tomara e Tiago Bettencourt. O segundo mostrará o que andaram a magicar Fred Ferreira (Orelha Negra, Banda do Mar), Pedro Geraldes (Linda Martini), Igor Jesus (videasta, escultor, artista plástico) e João Pimenta Gomes (músico e produtor associado a Tiago Bettencourt, Sara Tavares ou Márcia). Quanto ao encontro entre Filho da Mãe, Miguel Nicolau (Memória de Peixe), EGBO e LAmA terá apresentação ao vivo este sábado no Centro Cultural e de Congressos, às 16h, e será antecedido da exibição de um filme dedicado às residências, Residências Impulso ‘19, realizado por Rui Major.

Além das actividades musicais nocturnas no Parque D. Carlos I, o Impulso programa também concertos para as tardes de festival (e que, tal como as conferências e as sessões de cinema, terão entrada gratuita). Poderemos então ver, esta quinta-feira, João Pais Filipe e os Lavoisier na Igreja do Espírito Santo, actuações antecedidas pela conferência Políticas Queer – Entre a Arte e o Activismo marcada para as 15h (na tarde seguinte, a Igreja será palco para Violeta Azevedo). Pela Fábrica Bordallo Pinheiro passarão, entre outros, Sallim e Iguana Garcia, esta sexta-feira. Isto em horário de matiné, porque as madrugadas do festival terão na Fábrica o seu centro. Nesse horário “clubbing”, a entrada será reservada aos portadores de bilhetes para o festival (diários a 15 euros, passe para os três dias a 40 euros). Entre os nomes presentes encontram-se Dj Marfox e Pedro Mafama (dia 24) ou os Colónia Calúnia (dia 25).