Livros

Read On volta a encher Almada de palavras e de jovens

Na segunda edição do festival europeu que quer levar os jovens a ler mais, o Solar dos Zagallos é mais uma vez invadido por palavras escritas, faladas e cantadas.

O projecto Read On pretende promover a leitura entre os jovens dos 12 aos 19 anos
Foto
O projecto Read On pretende promover a leitura entre os jovens dos 12 aos 19 anos DR

O Festival Read On Almada começa nesta quinta-feira, prolonga-se até sábado à noite e está “aberto a todos os públicos para os quais a leitura e a escrita são objecto da sua atenção”. Vocacionado para a promoção da leitura entre os jovens dos 12 aos 19 anos, o programa traduz os interesses desse grupo etário.

PÚBLICO -
Foto
O Festival Read On Almada do ano passado envolveu centenas de alunos do concelho DR/Cortesia Câmara Municipal de Almada

Assim, multimédia, humor, música, oficinas de fanzines, de DJ’ing, de escrita e de fotografia para redes sociais, mas também entrevistas, apresentação de livros, clubes de leitura e histórias contadas de viva voz fazem parte das mais de 70 actividades propostas ao longo de três dias, no Solar dos Zagallos (Sobreda). Objectivo: pôr os jovens a ler mais.

“Esperamos que este festival continue a proporcionar aos nossos jovens experiências diversificadas de leitura e escrita criativa”, diz Graça Carvalha, directora do Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté, da Charneca de Caparica, e que integra a equipa coordenadora do projecto internacional de leitura Read On.

PÚBLICO -
Foto
O músico Jimmy P faz parte de um projecto pedagógico de combate à “violência no namoro, Amar-te e Respeitar-te

A professora de Físico-Química acrescenta ainda: “Sendo hoje leitores, serão leitores no futuro.” Dá-nos conta de que no ano passado houve 4 mil participantes e destaca as novidades desta edição: “Teatro, Cosplay, Poetry Slam e fotografia.”

A sessão formal de abertura decorre às 15h, no Palco do Átrio, com Ensembles de Guitarras (Academia de Música de Almada e alunos do Agrupamento de Escolas Carlos Gagaté), e em que se escutará o hino Read On. Mas, logo pela manhã, já há sessão de cinema, com Escola das Artes (realização de Nuno Santana a partir dos livros de Sara Rodi), uma oficina de dramatização de excertos do conto O Fantasma de Canterville, de Oscar Wilde, workshops de robótica, de criação de postais pop-up e de podcasts, só para dar alguns exemplos.

O dia terminará com o músico Jimmy P, que assina Amar-te e Respeitar-te, que faz parte de um projecto pedagógico de combate à “violência no namoro”, das edições Betweien. Com ele, pretende-se “dotar os/as jovens de ferramentas de diagnóstico e de prevenção de comportamentos agressivos nas relações de namoro”.

Humor e amor

Nesta edição consegue-se um programa ainda mais diversificado, que incluirá conversas de Paulo Fragoso com o humorista Nilton (sexta-feira, 21h45) e o youtuber Conguito (sábado, 21h45). Os escritores David Machado (sábado, 15h) e Inês Barata Cardoso (sexta-feira, 15h) decerto também vão conquistar novos leitores.

Destaque ainda para o lançamento da antologia Amor, uma obra ilustrada colaborativa que juntou alunos do concelho e os escritores André Fernandes, Constança Freire de Sousa, Rita Vilela e Susana Amorim. A mediadora de leitura Andreia Brites apresentará o livro na sexta-feira às 18h30 (Salão Dourado).

O festival encerrará na noite de sábado com Contopias, Serafim Conta Estórias. Para este ex-bibliotecário, “contar é o acto de apagar fronteiras”. Nesta sessão apresenta histórias de vários pontos do mundo: Índia, África, Oriente, Europa. E diz: “Talvez o contador de histórias seja o último reduto da utopia.”

O Festival Read On Almada é organizado pelo Agrupamento de Escolas Carlos Gargaté (Charneca de Caparica) e pela Câmara Municipal de Almada. Está integrado no projecto Read On (Reading for Enjoyment, Achievement and Development of Young People), co-financiado pelo programa Europa Criativa, da União Europeia, que junta sete parceiros europeus.

A nível nacional, as parcerias fazem-se com o Plano Nacional de Leitura, com a Rede de Bibliotecas Escolares, a AMAI e, informa a organização, “muitas outras entidades locais com actividades na área da leitura, da escrita, da ilustração, da BD e da música”. As actividades são gratuitas.

Read on”, isto é, em tradução livre, “toca a ler”.

Notícia actualizada às 11h45, com o depoimento de Graça Carvalha, da organização do Read On