Quatro crianças morreram em acidentes rodoviários em 2018

Números provisórios da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária mostram que foi na faixa etária dos 20 aos 24 anos que o número de vítimas mortais mais aumentou entre 2017 e 2018.

Foto
O maior número de vítimas mortais (90) registou-se na faixa etária acima dos 75 anos. Nelson Garrido

Em 2018, quatro crianças com menos de 14 anos morreram na sequência de acidentes rodoviários. Em 2017 tinham sido duas e em 2016 seis. Os números relativos ao ano passado são dados provisórios disponibilizados ao PÚBLICO pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). Anualmente, esta entidade elabora um relatório sobre a sinistralidade rodoviária que ainda não está concluído.

Quanto a feridos graves nesta faixa etária, foram registados 74 no ano passado (68 em 2017). E contaram-se 2363 feridos ligeiros — mais 23 do que em 2017. 

Mas foi entre os jovens dos 20 aos 24 anos que o número de vítimas mortais mais cresceu entre 2017 e 2018. Passaram de 29 a 42. Os dados disponibilizados até agora ainda não permitem perceber o contexto destes acidentes. 

O maior número de vítimas mortais (90) registou-se na faixa etária acima dos 75 anos. 

No total, em 2018, morreram mais de 500 pessoas na sequência de acidentes rodoviários. Outras 2127 ficaram gravemente feridas e 41.382 resultaram em feridos ligeiros. Os números são todos superiores a 2017. 

Os dados da ANSR incluem condutores, passageiros e peões que tenham estado envolvidos em acidentes rodoviários. A contabilização é feita até às 24 horas após o acidente. 

Na madrugada de domingo, uma menina de dez anos, que seguia na bagageira de um carro sobrelotado, morreu na sequência de uma colisão com outro veículo