Instituto aceitou que professora suspeita avaliasse exame de Português

Organismo responsável por provas nacionais desiste de pedir indemnização a Edviges Ferreira. Docente vai ser julgada por fuga de informação que nega ter desencadeado.

Foto
Rui Gaudencio

O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) sabia que havia suspeitas que recaíam sobre a professora Edviges Ferreira quando, no Verão de 2017, aceitou que fosse ela a avaliar o exame de Português do 12.º ano antes de ser enviado para as escolas, para os alunos se submeterem à prova.