Encerra mais uma escola em Matosinhos. Desde 2005 já fecharam quase duas dezenas

A próxima a fechar é a Escola Básica da Portela, em Santa Cruz do Bispo, no próximo ano lectivo. A população escolar diminuiu, mas pais contestam encerramento.

Foto
daniel Rocha

O aviso de encerramento de mais uma escola no concelho de Matosinhos não terá agradado aos pais da Escola Básica (EB) da Portela, em Santa Cruz do Bispo, chamou à atenção, na reunião do executivo da câmara municipal de Matosinhos (CMM), nesta terça-feira, o vereador independente na oposição, António Parada, que antes do período da ordem do dia levou o assunto a discussão.

É mais uma a somar aos 18 estabelecimentos de ensino que já encerraram no concelho desde 2005. Na segunda-feira, de acordo com o vereador, terá havido uma reunião de pais na escola, que terá originado alguma celeuma. Os pais dos alunos não terão recebido a notícia com agrado e, entre propostas, terão sugerido a reabilitação da mesma.

Não é uma hipótese que esteja em cima da mesa para a autarquia, nem é por esse motivo que encerra. Diz o vereador da Educação e do Ambiente, Correia Pinto, no final da reunião desta terça-feira, que a decisão de encerrar este estabelecimento de ensino prende-se com a “redução da população escolar” naquela área geográfica. Nos últimos 12 anos, refere, o concelho perdeu 10% da população escolar do primeiro ciclo. Se o número de alunos continuasse a justificar uma intervenção afirma que seria posta em marcha. O valor necessário para avançar para obras rondaria cerca de 1 milhão de euros.

Afastada essa hipótese, os alunos serão transferidos para outra escola que, de acordo com o autarca, fica a cerca de 500 metros – a EB da Viscondessa. Opta-se por manter esta escola aberta em prejuízo da que encerra por apresentar “melhores condições de conservação”, apesar de ser mais antiga. A EB da Viscondessa, segundo o autarca, é uma escola “do plano centenário”, enquanto que a da Portela já foi construída depois do 25 de Abril de 1974. Porém, ao contrário da que encerra, esta passou por um processo de “reabilitação total”, em 2005, e por “outras pequenas intervenções” ao longo dos anos.

Actualmente, a EB da Portela tem 65 alunos do primeiro ciclo e 20 do pré-escolar, o que em turmas traduz-se em três do primeiro ciclo e uma do pré-escolar. No passado, já chegou a ter oito turmas do primeiro ciclo e duas do pré-escolar. A falta de alunos obrigou a que algumas turmas se dividissem por duas classes. Só a do primeiro ano é que não acumula planos curriculares de anos diferentes.

A tendência, é, já no próximo ano, perder ainda mais alunos. “Dos 22 alunos do pré-escolar só transitarão sete meninos para o primeiro ano. No ano imediatamente a seguir, só há dois que o farão. A perspectiva é que a escola venha a ter uma população ainda mais reduzida”, afirma Correia Pinto.

A redução do número de alunos e consequente acumulação de planos curriculares terá originado, segundo o autarca, uma “degradação” do aproveitamento escolar. “Estes alunos estão 15% abaixo da média do agrupamento de escolas de Matosinhos, incluindo a média dos alunos do agrupamento da escola da Viscondessa, para onde vão”, refere. Estes dados ajudaram a reforçar a decisão por se optar por manter aberta a EB da Viscondessa, que no presente ano lectivo tem sete turmas do primeiro ciclo e duas do pré-escolar.

Quanto ao descontentamento demonstrado pelos pais, o autarca afirma ser natural existir. Ao contrário, diz que a direcção do agrupamento viu com bons olhos a solução encontrada. Correia Pinto, sublinha que “não seria a reabilitação da escola que traria mais alunos” à Portela.

Esta é uma decisão irreversível. No próximo ano a Portela já não abre portas. Quanto aos outros estabelecimentos de ensino do concelho, garante: “No próximo ano não fecham mais escolas em Matosinhos”.