O calvário final de Niki Lauda

O estado de saúde agravou-se no final de 2018, depois de um transplante de pulmão.

,Ryanair
Foto
LUSA/BARBARA GINDL

Para quem tinha sobrevivido a um acidente tão brutal como o de Nürburgring, em 1976, a batalha mais recente que Niki Lauda travava pela recuperação no hospital seria apenas mais uma etapa numa trajectória feita de obstáculos. Mas o antigo piloto acabou por não resistir às complicações decorrentes de um transplante de pulmão.

Julho de 2018

Niki Lauda falha surpreendentemente a presença nos Grandes Prémios em Hockenheim e Budapeste. A primeira versão que corre é que teve de deixar a casa de férias, em Ibiza, por causa de uma gripe. Mais tarde, especula-se sobre um problema renal e sobre o internamento nos cuidados intensivos de um hospital de Viena. 

2 de Agosto de 2018

Niki Lauda é operado em Viena. “Devido a uma grave doença pulmonar, Niki Lauda teve de ser submetido a um transplante de pulmão”, é explicado, em comunicado. É a primeira versão oficial do estado de saúde do austríaco. Mais tarde, o médico Walter Klepetko fornecerá mais detalhes, citado pello Bild. “O Sr. Lauda tem sido mantido vivo com recurso a uma bomba e está totalmente consciente. Neste caso, não há alternativa senão um transplante”.

7 de Setembro de 2018

Niki Lauda ainda está nos cuidados intensivos, mas já sem necessidade de ventilação artificial. Tem assistido às corridas de Fórmula 1 pela TV (viu as provas de Spa e de Monza) e o director da Mercedes, Toto Wollf, revela: “Eu tento manter o Niki actualizado o máximo possível.”

Nessa altura, as visitas a Lauda são reduzidas ao mínimo, à família mais chegada. “O perigo de ele se infectar com um vírus ou uma bactéria de outras pessoas ainda é muito grande”, apontavam os médicos. 

24 de Novembro de 2018

Niki Lauda aparece em público pela primeira vez desde o transplante, ainda que antes tivesse gravado uma mensagem de vídeo a dar conta do seu estado de saúde. A Mercedes partilha um vídeo de apenas um minuto no Instagram que mostra o austríaco sentado à mesa. O seu grande objectivo era estar presente na última corrida da temporada, em Abu Dhabi, mas não se concretizará.

Dezembro de 2018 

A nova previsão para um regresso ao paddock aponta para os testes de início de época, em Fevereiro de 2019, em Barcelona. Em Dezembro, Niki Lauda fala à Gazzetta dello Sport: “Em situações como esta, só se pode fazer uma coisa: lutar. Foi sempre aquilo que eu fiz e continuo a fazê-lo”.

O austríaco revela que os meses passados no hospital, em Viena, estavam a ser mais difíceis do que o período que se seguiu ao acidente em Nürburgring, em que sofreu graves queimaduras. “Naquela época eu estive apenas um mês internado, ou um pouco mais. Sim, sofri queimaduras, mas rapidamente recuperei”.

Março de 2019 

Está prevista a transferência de Niki Lauda para uma clínica de reabilitação perto de Lucerna.

Maio de 2019 

Niki Lauda é levado para uma clínica privada, na Suíça, para fazer diálise.

21 de Maio de 2019

A família anuncia a morte de Niki Lauda. O austríaco, que meses antes tinha estado ao telefone com Toto Wolff a discutir questões de trabalho e que revelara que a cabeça estava a 100% com a equipa, não resistiu.