PP a caminho de mais um desastre nas municipais espanholas

Sondagem mostra que o partido de Pablo Casado não ganha nenhuma das grandes cidades do país. Desde o exílio, Puigdemont prepara-se para ganhar as europeias na Catalunha.

,Partido Popular
Foto
Pablo Casado está a caminho da sua segunda derrota nas eleições à frente do PP Susana Vera/REUTERS

É uma sucessão sem fim de cidades, Madrid, Barcelona, Valência, Sevilha, Saragoça, Bilbau, Corunha, que o Partido Popular (PP) não irá governar. Depois do pior resultado da sua história nas eleições gerais, a formação de centro-direita parece a caminho de novo desaire doloroso nas municipais, que se realizam a 26 de Maio, em simultâneo com as europeias.

De acordo com a sondagem do El País deste domingo, o PP vai a caminho de um resultado desastroso em Madrid, onde, a confirmarem-se nas urnas as intenções de voto demonstradas, o PP poderia perder quase metade dos seus deputados municipais.

Na capital espanhola, Manuela Carmena, apoiada pelo fundador do Podemos Íñiho Errejón, tem todas as hipóteses de se reeleger, com o inquérito de opinião a indicar até uma possibilidade de subida no número de deputados eleitos, passando de 20 para 21 ou 22. No entanto, como a assembleia da cidade tem 57 deputados, Carmena precisaria do apoio dos socialistas para governar – o PSOE deverá perder um deputado dos nove que elegeu há quatro anos.

Em Barcelona, as contas são mais complicadas, porque os números da sondagem mostram uma maior partição das intenções de voto. No entanto, a julgar por estes números, a actual presidente da câmara, Ada Colau, não conseguirá renovar o seu mandato (elegendo entre nove ou 10 deputados), perdendo para o candidato da Esquerda Republicana da Catalunha (ERC, vencedor das eleições gerais na Catalunha), Ernest Maragall, por uma margem muito curta: apenas 11 deputados em 41. A confirmarem-se os números, o PSOE duplicaria a sua votação, passando de quatro para sete ou oito deputados.

Puigdemont vence

Segundo uma outra sondagem, realizada pelo GAPS para o Junts per Catalunya (JxCat) e divulgada pelo site ElNacional.cat, Carles Puigdemont vencerá as eleições europeias na Catalunha com a sua coligação Lliures per Europa (Livres pela Europa).

Numa corrida disputadíssima que inclui o socialista Josep Borrell, actual ministro dos Negócios Estrangeiros do Governo de Espanha, e Oriol Junqueras (antigo vice-presidente do Governo catalão, actualmente detido), Puigdemont surge à frente com 23 a 24% dos votos, com Borrell a conseguir 22 a 23% e Oriol Junqueras 20,1 a 21,1%.

Números que apenas demonstram o que o barómetro do Centre d’Estudis d’Opinio, de 10 de Maio, já indicava: a diferença entre os três é demasiado pequena para antecipar um vencedor certo. Aí, era Junqueras quem surgia na liderança com 22,5%, seguido de Borrell com 22,2% e de Puigdemont com 21,2%.