Mais de 60 pessoas detidas na festa do Benfica

PSP e ASAE levantam incidências relacionadas com o uso de engenhos pirotécnicos, resistência, coacção e venda especulativa de bilhetes.

Milhares de pessoas marcaram presença na festa do título do Benfica no Marquês de Pombal, em Lisboa
Foto
Milhares de pessoas marcaram presença na festa do título do Benfica no Marquês de Pombal, em Lisboa LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve no sábado pelo menos 53 pessoas entre a manhã de sábado e este domingo, na sequência das horas de celebração do título nacional do Benfica, segundo fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP. Nas imediações do recinto do Benfica também foram detidas nove pessoas pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) em flagrante delito, por venda especulativa de bilhetes para o último jogo da Primeira Liga, frente ao Santa Clara.

Uma nota da PSP revelou que, no âmbito da actividade operacional do Cometlis, através de operações de fiscalização num período de 24 horas, desde as 09:00 de sábado, “efectuou 53 detenções”, das quais 17 por “posse ilegal de artifício pirotécnico”.

Os restantes detidos respondem por “condução em estado de embriaguez” (dez), “condução sem habilitação” legal para conduzir (seis), “posse ilegal de arma” (seis), “tráfico de estupefacientes” (cinco), “resistência e coação sobre funcionário” (três), “cumprimento de mandado de detenção” (três), “desobediência” (duas) e “furto” (uma).

A mesma nota do Cometlis acrescentou que, no mesmo período, foram ainda apreendidas 203 armas brancas “que se encontravam em local de armazenamento e exposição”.

As operações levaram também à apreensão de 103,91 gramas de haxixe, a que correspondem 207,82 doses individuais de consumo, explicou a PSP no mesmo comunicado.

A ASAE também que, na sequência de uma operação de fiscalização, deteve até meio da tarde de sábado nove pessoas, em flagrante delito, em Leiria, Marinha Grande, Almada e Lisboa, tendo sido “instaurados nove processos-crime pela prática de especulação na forma tentada e venda irregular de bilhetes”.

“Foram apreendidos 18 bilhetes/títulos de ingresso, que se encontravam à venda através da Internet, a atingir valores de lucro de 700% acima do valor facial”, refere a ASAE. Os detidos, entre os quais um menor de 17 anos, foram identificados e constituídos arguidos com termo de identidade e residência até serem presentes a tribunal para julgamento.

No estádio da Luz e já depois de terminada a partida o porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP disse ainda que uma pessoa ficou ferida ao ser atingida por um objecto, tendo sido assistida no local. De acordo com André Oliveira Serra, vários adeptos arremessaram objectos contra a polícia, que, no entanto, nesta situação não teve necessidade de intervir.

Entretanto, na zona do Marquês de Pombal, para onde se deslocaram os festejos, o policiamento decorria, cerca da meia-noite “dentro da normalidade”, segundo André Oliveira Serra.

Já no centro da cidade, o mesmo porta-voz dizia pelas 02h de domingo que “até ao momento, a operação decorreu dentro da normalidade, não houve actuações policiais de maior. Ocorreram também algumas detenções por resistência e coação.

“Não houve registo de policias feridos, houve alguns civis feridos, mas essa é uma contabilização que está a ser feita pelo INEM e ainda não está fechada”, acrescentou.

Mesmo assim, o porta-voz da PSP de Lisboa fez um balanço positivo da operação.

“Já se sabia que o recinto do Marquês ia ser fechado e que todos acessos iriam ser feitos por meio de revista. Todas as pessoas que aqui se deslocaram foram alvo de revista e os objectivos proibidos foram impedidos de entrar, tal como acontece no estádio”, frisou.

O Benfica assegurou no sábado o seu 37.º título de campeão português de futebol, ao golear em casa o Santa Clara por 4-1, em jogo da 34.ª e última jornada da competição, que terminou com 87 pontos, mais dois do que o FC Porto.