Governo reeleito na Austrália contra todas as expectativas

Líder dos Trabalhistas admitiu a derrota e garante que não se recanditata à direcção do partido. Todas as sondagens, inclusive à boca das urnas davam a derrota da Coligação de centro-direita.

Scott Morrison saúda os seus apoiantes depois de uma vitória inesperada: "Sempre acreditei em milagres"
Foto
Scott Morrison saúda os seus apoiantes depois de uma vitória inesperada: "Sempre acreditei em milagres" DEAN LEWINS/EPA

“É óbvio que o Partido Trabalhista não vai conseguir formar o próximo Governo”, admitiu Bill Shorten, o líder da oposição australiana, no seu discurso de aceitação da derrota, numa noite que tudo apontava seria de glória e acabou em tristeza. Com 71,1% dos votos contados, a Coligação do Governo tinha 74 deputados eleitos, contra 65 do Partido Trabalhista Australiano, com seis assentos ainda em disputa.

Todas as sondagens, inclusivamente à boca das urnas, davam a vitória aos trabalhistas sobre a Coligação de centro-direita que governa o país desde 2013, mas assim que começaram a chegar as primeiras contagens de votos, contrariando a tendência apontada pelos estudos de opinião, começou a perceber-se que a eleição apontava noutro sentido.

“Sei que estão todos a sofrer, eu também estou”, afirmou Shorten, falando para os seus apoiantes que ainda pareciam em choque por uma derrota que não estavam à espera.

O mal-estar dentro da Coligação, fruto das lutas políticas entre o Partido Liberal e o Partido Nacional, parecia indicar outro desfecho. A demissão do primeiro-ministro Malcolm Turnbull em Agosto de 2018 e a passagem a governo minoritário em Outubro, quando a Coligação perdeu um lugar de deputado na eleição intercalar, também davam a entender a mudança de rumo.

“Sempre acreditei em milagres”, disse o líder dos liberais e primeiro-ministro Scott Morrison, comentando o resultado inesperado do sufrágio. “Esta noite é dedicada a todos os australianos que dependem que o seu Governo lhes dê prioridade. E é exactamente isso que vamos fazer”, acrescentou o primeiro-ministro.

Nem tudo foram, no entanto, boas notícias para o centro-direita, já que o ex-primeiro-ministro Tony Abbott perdeu o seu lugar de deputado. Mostrando-se desapontado com a derrota, o antigo líder dos liberais preferiu concentrar-se na vitória da Coligação: “Este é verdadeiramente um resultado extraordinário. Um resultado estupendo. É um grande resultado para Scott Morrison e o resto da grande equipa liberal”.