Caso do militar internado: 164 sujeitos a análises de urgência

Colheita foi transportada para o Hospital Militar em Lisboa. Exames ao soldado internado no Curry Cabral, em Lisboa, foram inconclusivos. Militar foi sujeito a transplante de fígado.

As análises foram feitas esta sexta-feira às 7 horas da manhã no Centro de saúde de Tancos/Santa Margarida
Foto
As análises foram feitas esta sexta-feira às 7 horas da manhã no Centro de saúde de Tancos/Santa Margarida Rui Gaudencio

Os 164 instruendos e instrutores do curso de cabos do Exército, ao qual pertence o soldado que foi internado na quarta-feira no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, foram sujeitos a análises, na manhã desta sexta-feira.

As análises foram realizadas no Centro de Saúde de Tancos/Santa Margarida por volta das 7h.

A colheita foi transportada pela Brigada de Trânsito, devido à urgência, para o Hospital Militar, em Lisboa.

Contactada pelo PÚBLICO, a major Elisabete Silva, porta-voz do Exército, confirmou a colheita. “Como as análises ao soldado foram inconclusivas, foi decidido fazer um despiste aos restantes alunos como forma de precaução”, disse a porta-voz, sublinhando que o soldado afinal não foi vítima de um golpe de calor, como se pensou inicialmente.

O soldado foi entretanto sujeito a um transplante de fígado que correu bem, mas o seu prognóstico mantém-se reservado. 

O Exército abriu um processo de averiguações à ocorrência.

Marcelo Rebelo de Sousa, que é também comandante Supremo das Forças Armadas, visitou o militar no Hospital Curry Cabral.