Retrato do artista enquanto jovem nunca imberbe

Cristina Branco, Filipe Sambado, Manuel Palha e Coelho Radioactivo. Quatro músicos que se cruzaram com Luís Severo falam ao Ípsilon da sua sensibilidade e acutilância, do seu labor, da sua aura de “homem antigo”.

Foto
Neuza Rodrigues

Quatro músicos para um músico. Quatro pessoas que, ao longo dos anos, se cruzaram com Luís Severo. Falámos com João Sarnadas, que assina como Coelho Radioactivo, seu primeiro cúmplice musical, com Filipe Sambado, que o encontrou ainda Cão de Morte, com Manuel Palha, guitarrista dos Capitão Fausto, que participou no álbum Luís Severo, e com Cristina Branco, a fadista certamente mais do que fadista, para quem compôs Alvorada e Minha sorte nos álbuns Menina e Branco, respectivamente. Compusemos um retrato do artista enquanto jovem que nunca foi imberbe. Palavra de Filipe Sambado: “Conheci-o com 16 anos e não era imberbe. Tem barba desde muito novo.”