Torne-se perito

Prazos máximos de espera ultrapassados num quinto dos doentes com cancro

Entidade Reguladora da Saúde diz que “situação de incumprimento dos tempos afecta uma parte muito relevante dos utentes atendidos” nos hospitais.

Transplante de órgão
Foto
ADRIANO MIRANDA / PUBLICO

Um quinto dos doentes oncológicos com indicação para cirurgia nos primeiros cinco meses de 2018 ultrapassaram os prazos máximos de espera previstos na lei, que oscilam entre os 15 dias, para os casos “muito prioritários”, e os 60 dias, para os “normais”. E mais de metade das cirurgias pediátricas realizadas neste período não cumpriram também o tempo considerado clinicamente aceitável. São alguns dos dados que resultam de um trabalho de monitorização feito pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS), que quis perceber como estão a evoluir os tempos de espera no Serviço Nacional de Saúde.