Santana Lopes passa a noite no hospital após acidente de viação

Acções de campanha do partido Aliança para as eleições europeias estão suspensas. Cabeça de lista do partido, Paulo Sande, também sofreu ferimentos ligeiros, mas teve alta ao início da noite desta quarta-feira. Santana Lopes foi transportado por helicóptero do INEM até Coimbra, onde passará a noite no hospital.

,Eleição do Parlamento Europeu em Portugal, 2019
Fotogaleria
Pedro Santana Lopes MIGUEL MANSO
,Eleição do Parlamento Europeu em Portugal, 2019
Fotogaleria
Paulo Sande MIGUEL MANSO

O líder do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, e o cabeça de lista daquela formação às eleições europeias, Paulo Sande, estiveram envolvidos num acidente de automóvel, na A1, na tarde desta quarta-feira. O despiste da viatura onde seguiam ocorreu ao quilómetro 136 dessa auto-estrada, entre Pombal e Soure, quando Santana Lopes e Paulo Sande seguiam de Coimbra para Lisboa. Ambos sofreram ferimentos ligeiros e foram encaminhados para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC). Em comunicado citado pela Lusa na noite desta quarta-feira, o partido afirma que a situação dos dois homens é “estável e favorável”. Santana Lopes passará a noite no hospital, garantiu à Lusa fonte da Aliança, enquanto Paulo Sande teve alta ao início da noite. 

PÚBLICO -
Foto
Viatura onde seguia Pedro Santana Lopes RUI MIGUEL PEDROSA / LUSA

Ao PÚBLICO, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria confirmou a ocorrência de um acidente nesta secção da A1 e o registo de dois feridos ligeiros. Paulo Sande conseguiu sair da viatura pelo próprio pé, enquanto Santana Lopes, que seguia ao volante do veículo ligeiro, precisou de ser desencarcerado pelos bombeiros. O alerta foi dado pelas 17h14 e mobilizou 16 operacionais, apoiados por sete veículos.

Em declarações à Lusa, Paulo Sande explicou que regressava a Lisboa com Santana Lopes e que o carro onde seguiam “capotou várias vezes”. As autoridades procederam à investigação do local, na tentativa de perceber as razões que originaram o aparatoso acidente.

Na sequência do despiste, Paulo Sande registou algumas dores na região do tórax, sendo transportado para o hospital numa ambulância. Pedro Santana Lopes também apresentou as mesmas queixas, tendo sido “imobilizado por precaução” e transportado de helicóptero para os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC).

PÚBLICO -
Foto
Santana Lopes foi transportado de helicóptero para Coimbra PAULO NOVAIS / LUSA

A operação com recurso ao helicóptero obrigou ao corte de trânsito daquela zona da auto-estrada em ambos os sentidos. Fonte da assessoria do INEM assegurou que o recurso ao transporte aéreo de Pedro Santana Lopes até Coimbra se deveu às suspeitas de um traumatismo torácico, que pode representar alguma gravidade. O helicóptero do INEM foi destacado para este acidente porque, de acordo com a mesma fonte, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) recebeu informações de um acidente “grave com feridos encarcerados”.

Por precaução, e em conjunto com o CODU, o INEM resolveu utilizar a forma mais rápida de transporte até aos HUC. Essa fonte do INEM explicou ao PÚBLICO que não existe qualquer tipo de protocolo especial no que diz respeito ao transporte de antigas figuras de Estado.

A clarificação dessa questão foi, de resto, uma preocupação do instituto de emergência médica que, no Twitter, afirmou que “exige igualdade de tratamento” pré-hospitalar para todos os cidadãos, “independentemente da sua situação económica, social, cultural, das convicções filosóficas, religiosas ou políticas”.

"Campanha muito cansativa"

O assessor do partido Aliança confirmou a informação do acidente ao PÚBLICO. Depois de ter contactado telefonicamente Pedro Santana Lopes, esta fonte garantiu que o antigo primeiro-ministro se encontrava bem, afastando qualquer gravidade nos ferimentos. As acções de campanha para as eleições europeias da Aliança encontram-se suspensas.

Paulo Sande falou aos jornalistas, após ter recebido alta dos HUC. Admitindo que o acidente representou um “grande susto”, o cabeça de lista da Aliança admitiu que as longas viagens têm sido cansativas, mostrando-se feliz pelo facto de o acidente não ter tido repercussões mais graves. “Lembro-me do momento em que começamos a dar cambalhotas. Mas é verdade que esta campanha tem sido muito cansativa. O automóvel ia devagar, não iria a muito mais de 120 km/h e o acidente não teve mais consequências. Se fossemos muito mais depressa teria tido”, afirmou. Depois de um breve período de recuperação, Paulo Sande garante que​ a Aliança voltará “muito rapidamente” à estrada. 

Nas redes sociais, vários “adversários” políticos desejaram as rápidas melhoras aos homens da Aliança. Rui Tavares, cabeça de lista do Livre às eleições europeias, aproveitou para deixar uma palavra amiga a Paulo Sande, Santana Lopes e à campanha do partido. “Há coisas mais importantes do que a competição eleitoral, e uma delas é que quem se empenha no contacto com os cidadãos o possa fazer são e salvo”, pode ler-se na publicação de Rui Tavares no Twitter. Carlos Guimarães Pinto, líder da Iniciativa Liberal, e André Ventura, da coligação Basta, também deixaram uma palavra amiga aos membros da Aliança.