Movimento nacional em marcha contra o lítio

Os pedidos de prospecção em curso abrangem uma área de 86 mil hectares em zonas com interesse para a preservação, contabilizou a associação ambientalista Zero. Movimentos cívicos ganham expressão e têm conseguido parar o avanço de projectos, tanto em Portugal como em Espanha.

Foto
Zona em Montalegre onde já está em curso a exploração de lítio. Adriano Miranda

De um lado da barricada, está o interesse em avançar com a prospecção geológica do país e a exploração de minérios cuja procura desenhou um movimento ascendente associado à mobilidade eléctrica: o lítio, e os seus iões, são elementos vitais nas baterias para armazenamento de energia. Um interesse que é impulsionado pela Comissão Europeia, que está a financiar vários projectos de investigação com o objectivo de fazer diminuir a sua dependência de parceiros como a China. E que é visível na quantidade de grandes empresas mineiras (sobretudo inglesas e australianas) que se tem aproximado do continente europeu para não falhar uma corrida que está assumidamente instalada.