Sporting vence FC Porto e sagra-se campeão da Europa

“Leões” levaram a melhor sobre os portistas na final da Liga Europeia, vencendo por 5-2 no Pavilhão João Rocha. Último título do Sporting na competição tinha sido em 1976-77, há 42 anos.

Foto
Jogadores do Sporting levantaram o troféu no Pavilhão João Rocha LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O Sporting sagrou-se campeão da Europa de hóquei em patins, vencendo na final da Liga Europeia o FC Porto, por 5-2. Este triunfo chega 42 anos depois do último título na competição, conquistado em 1976-77. Os “leões” receberam o troféu em casa, no Pavilhão João Rocha, palco que acolheu esta edição da prova. Na meia-final, o Sporting tinha afastado o Benfica, enquanto os portistas tinham eliminado o Barcelona.

Tal como na meia-final de sábado contra o Benfica, o Sporting entrou melhor na partida do que o adversário. Mais rápidos e verticais, os “leões” chegaram à vantagem aos 7’, por intermédio de Toni Pérez. O espanhol contornou a baliza dos “dragões” e, de costas para Nélson Filipe, abriu as pernas e desferiu um remate que surpreendeu o guardião do FC Porto.

Os “leões” mal tiveram tempo para aproveitar a liderança, pois Reinaldo García, logo no minuto seguinte, repôs a igualdade no marcador. Vítor Hugo, ex-“dragão”, foi o homem que fez o resultado pender novamente para o Sporting. Servido por Ferran Font, o “leão” fez o 2-1 no Pavilhão João Rocha.

As coisas complicaram-se ainda mais para os homens de Guillem Cabestany aos 12’: Telmo Pinto viu o cartão azul por atingir Vítor Hugo no peito com o stick. Ferran Font não desperdiçou o livre directo e fez o 3-1.

PÚBLICO -
Foto
Momento do apito final JOSÉ SENA GOULÃO / LUSA

Visivelmente descontente com a prestação da equipa, o técnico “azul e branco” ficou ainda mais apreensivo aos 24’, quando Gonzalo Romero, sem oposição da defensiva portista, entrou na área dos “dragões” e fez o 4-1. O marcador não se voltaria a alterar até ao intervalo.

Na segunda metade do encontro, os “leões” tentaram fazer aquilo que, na véspera, não tinham conseguido — conservar uma vantagem de três golos. Aos 31’, o FC Porto teve um livre directo a castigar a décima falta dos “leões”. Por duas vezes, Ângelo Girão frustrou as aspirações portistas. Os “azuis e brancos” reduziriam por intermédio de Gonçalo Alves, aos 39’, mas Ferran Font, aos 42’, fez o 5-2 e devolveu a vantagem mais confortável ao Sporting. Gonçalo Alves ainda falharia uma grande penalidade antes do apito final, defendida pela máscara de Ângelo Girão.

Com esta conquista, o Sporting soma o segundo título na prova, igualando FC Porto e Benfica, ambos com duas conquistas na principal competição de clubes a nível europeu.

"Queremos continuar a ganhar"

Paulo Freitas, técnico dos “leões”, diz que agora é tempo de festejar, mas garante que o seu principal objectivo é fazer que esta conquista se repita: “O que me vai na alma agora é festejar, temos noção da responsabilidade e queremos continuar a ganhar. A exigência é essa. [Este título] traz-nos vontade de ganhar mais.”

PÚBLICO -
Foto
Paulo Freitas com o troféu da competição JOSÉ SENA GOULÃO / LUSA

Na opinião de Paulo Freitas, a chave mestra para este triunfo dos “leões” deveu-se, principalmente, ao registo vitorioso do clube nesta competição: “Dez jogos, nove vitórias e um empate. Muita qualidade, uma crença enorme com um foco tremendo. Sabíamos o que queríamos. Só está ao alcance dos melhores e quero dar os parabéns aos meus jogadores por este trajecto fantástico”.

Ângelo Girão, guarda-redes do Sporting, mostra-se satisfeito por, este ano, o Sporting ter, pelo menos, um título no palmarés. “Vi muitos jogadores a chorar de alegria. Este grupo de trabalho merecia esta alegria. Era bastante inglório se acabássemos este ano sem títulos. Trabalhamos muito, sofremos muito, foi um ano muito carregado emocionalmente”, afirmou o capitão “leonino”.

"Criámos situações que não aproveitámos"

Guillem Cabestany, treinador do FC Porto, elogiou a eficácia “leonina”, que contrastou com o desacerto da ofensiva portista: “O Sporting fez um jogo de alta intensidade, muito contacto. Nós entramos bem e criámos situações que não aproveitámos. O Sporting foi eficaz, mas tivemos azar nos dois primeiros golos.”

PÚBLICO -
Foto
Guillem Cabestany, técnico dos "dragões" JOSÉ SENA GOULÃO / LUSA

O espanhol garantiu que esta derrota é “exactamente” tão dolorosa como a do ano passado, olhando agora para o campeonato, que os “dragões “, a três jogos do fim, lideram isolados: “Temos 25 dias para terminar o trabalho que fizemos ao longo da época. Vamos ganhar este campeonato e conseguir o título, para o ano podermos estar aqui novamente [na Liga Europeia].”