Ministério Público acusa predador de menores que podia estar preso desde 2010

Técnico de radiologia trabalhava até Abril do ano passado em hospitais. Aproximou-se de dois irmãos aproveitando-se das suas carências económicas. Judiciária tinha deixado alerta sobre perigosidade deste homem há quase uma década.

Foto
NFS - Nuno Ferreira Santos

O Ministério Público acusou de 70 crimes de prostituição de menores e 33 de abuso sexual de crianças um técnico de radiologia que podia ter sido condenado há nove anos. Porém, graças a uma questão formal acabou por ser posto em liberdade, depois de ter sido julgado pelo mesmo tipo de crimes em 2010. Até ter sido preso preventivamente, em Abril do ano passado, continuou a desenvolver as suas actividades de predador.