Renascimento
Leonardo da Vinci

Da ciência na arte à arte na ciência

Pintor de pouco mais de uma dúzia de quadros, o artista multiplicou-se como engenheiro, inventor, arquitecto, cenógrafo e cientista em centenas de projectos.

O Renascimento começou por ser uma revolução na arte para depois ser uma revolução na ciência. Revolução na arte porque do mundo plano que aparecia na pintura da Idade Média passou-se para um mundo tridimensional, proporcionado pela perspectiva. A ciência entrou na arte, pois a perspectiva, a técnica de representar um mundo cheio de volumes numa folha plana, não é mais do que um produto da geometria, uma das ciências mais antigas. Além disso, a perspectiva implicou também uma mudança conceptual: o ponto de fuga, o sítio para onde é conduzido o olhar no desenho em perspectiva, implica a existência do infinito, uma ideia inquietante na época.