MP diz que família de vítimas não pode pedir que autarca de Pedrógão seja arguido

Procuradora concorda com a defesa de Valdemar Alves: não são familiares de nenhuma vítima da zona da responsabilidade do autarca. E defende que todos os arguidos acusados devem ir a julgamento, deixando-o de fora desse rol.

Foto
Sérgio Azenha

O Ministério Público (MP) considera que a família de duas vítimas mortais dos incêndios de Pedrógão Grande, representada pelo advogado Ricardo Sá Fernandes, não tem legitimidade para solicitar a constituição como arguido do presidente da Câmara de Pedrógão, Valdemar Alves, confirmou o PÚBLICO fonte do processo. Foi desta forma que a procuradora Ana Simões respondeu ao recurso da defesa do autarca, interposto na sequência desse pedido.