Directora dos Jerónimos e Torre de Belém vai reformar-se

A mais antiga directora de um monumento nacional, Isabel Cruz Almeida abandona funções no dia 1 de Maio. Vai ser substituída interinamente até à realização de um concurso internacional para o cargo.

Mosteiro dos Jerónimos
Foto
Mosteiro dos Jerónimos Adriano Miranda

Isabel Cruz Almeida vai deixar de ser a directora do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém. A notícia foi avançada esta sexta-feira pela Rádio Renascença, e confirmada ao PÚBLICO pelo gabinete do Ministério da Cultura (MC).

No cargo desde 1989, Isabel Cruz Almeida era a mais antiga directora de um monumento nacional, e mantinha-se em funções em regime de substituição, mesmo depois de a sua comissão de serviço ter oficialmente terminado em 5 de Janeiro de 2017.

Ainda segundo a Renascença, a directora pediu para deixar o cargo, após 35 anos de serviço à frente dos Jerónimos e Belém – monumentos classificados pela UNESCO como Património da Humanidade em 1983. Vai deixar de exercer funções a partir do próximo dia 1 de Maio, e será substituída por alguém que a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) “irá designar muito em breve”, adianta o gabinete do MC.

A futura directora será nomeada através de um concurso internacional a promover logo que fique concluído o processo legislativo da lei da autonomia dos museus, monumentos e palácios, aprovado em Conselho de Ministros no passado mês de Março.

Isabel Cruz Almeida, conta já três décadas e meia de trabalho no Mosteiro dos Jerónimos, e os seus mandatos à frente do monumento foram motivo de polémica quando, em Junho de 2017, foi noticiada uma investigação do Ministério Público à realização de festas privadas sem o normal arrendamento dos seus espaços – um processo entretanto arquivado.