Opinião

Para explicar a Revolução é usar uma enxada

A estátua perfeita ao 25 de Abril teria, de um lado, Salgueiro Maia, de G3. E, do outro, aquele homem com a sua enxada. A ambos se deve a liberdade que hoje celebramos.

Seja por razões escolares ou por mera curiosidade, de vez em quando sou obrigado a explicar o 25 de Abril às crianças lá de casa. A parte da Revolução dos Cravos é fácil: havia uma ditadura, as pessoas não podiam falar livremente (elas acham que também não podem, portanto, conseguem relacionar-se com isso), existia a PIDE e a censura nos jornais, até ao dia em que um grupo de jovens militares se juntou para derrubar o que restava do Estado Novo, cuja saúde já não era famosa.