PSD recusa fixar salário do Presidente da República como tecto máximo para os juízes

Rui Rio respondeu à proposta feita pelo partido de Assunção Cristas no Twitter.

Rui Rio
Foto
Rui Rio Nuno Ferreira Santos

Rui Rio está “convictamente contra” a proposta do CDS de fixar o salário do Presidente da República como tecto máximo para os juízes. O PÚBLICO noticia esta quarta-feira que o PS queria apenas eliminar a regra que impunha como tecto o salário do primeiro-ministro, mas acolheu a proposta dos centristas de estabelecer como limite o vencimento do Presidente da República

“Isto é falta de sentido de Estado. Não é prudente e, muito menos, sensato. É, também, injusto para muitas classes profissionais. Não é difícil ser fraco com os fortes e forte com os fracos”, reagiu o líder do PSD na rede social Twitter. Rui Rio acrescentou: “Não contem com o PSD. Estou convictamente contra!”

Tal como o PÚBLICO recorda no artigo desta quarta-feira, o PSD já estava contra a proposta do PS, mas ainda não tinha indicado uma posição final sobre a solução avançada agora pelo CDS-PP no grupo de trabalho.

O líder do partido já havia defendido, há três semanas, que a sua convicção de “há muitos anos” é a de que “na função pública o salário do Presidente da República deve ser o mais alto e ninguém deve ganhar mais que o primeiro-ministro”.

O grupo de trabalho que está a debater esta questão ainda voltará a reunir na próxima sexta-feira para apreciar a solução jurídica concreta que dá corpo à proposta do CDS-PP.