Há dez anos, a ONU reconheceu 22 de Abril como Dia da Terra
Foto
Há dez anos, a ONU reconheceu 22 de Abril como Dia da Terra Ines Fernandes

Marcelo no Dia da Terra: quem decide deve ouvir mais os jovens

O Presidente da República apela para que se ouça a voz das gerações mais novas “no combate contra a utilização dos plásticos, na preservação dos oceanos e da biodiversidade”.

O Presidente da República apela aos “que têm hoje o poder de decisão” que “oiçam a voz das gerações mais novas no combate contra a utilização dos plásticos, na preservação dos oceanos e da biodiversidade”. O pedido de Marcelo Rebelo de Sousa é feito numa nota publicada no site da presidência, esta segunda-feira, Dia da Terra.

O Presidente alerta para a importância de cumprir o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas e de “reforçar e insistir nos apelos e acções” para que se cumpra os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030, “com o envolvimento dos governos, das empresas e da sociedade civil”. “Hoje, mais do que nunca, é necessária uma ética ambiental nas políticas públicas, nas actividades económicas e no quotidiano de todos os cidadãos”, acrescenta.

Além de apelar à prática de um desenvolvimento sustentável, Marcelo exalta todos “os que unem esforços para cuidar” da Terra, “que não é apenas o nosso planeta”, mas sim “o planeta que cuida de nós”. Por isso, é necessário agir: “Não há plano B, porque não há Planeta B, temos de agir todos e já pela preservação da Mãe Terra, o mesmo é dizer, pela Vida”.

No dia 15 de Maio, os estudantes portugueses fizeram greve e ocuparam as ruas em mais de 25 localidades para alertar para os perigos inerentes às alterações climáticas. A greve climática contou com a adesão de milhares de jovens por todo o país. Em Lisboa, a PSP contou mais de quatro mil manifestantes.

Há dez anos, a ONU reconheceu 22 de Abril como dia da Mãe Terra. Para assinalar a data, o PÚBLICO analisa como se posiciona Portugal em relação aos objectivos traçados a nível europeu.