Quando o telemóvel alimenta uma relação abusiva

Um telemóvel escondido no carro que monitoriza a localização do condutor. Uma namorada que pode ler as mensagens a qualquer altura. Um ex-companheiro que sabe o que o outro está a ver no computador. A tecnologia dá (e vende) opções a quem quer controlar à distância.

Foto
Há programas para recolher remotamente mensagens do telemóvel, ver a localização dos aparelhos, e activar microfones e câmaras Paulo Pimenta

Maria (nome fictício) estava a procurar um vestido novo na Internet. Houve um site com um vestido preto a que voltou várias vezes. Mais tarde, ao jantar, o companheiro — de quem Maria começava a ter receio por ser muito controlador – disse-lhe que “aquele vestido preto” lhe ia ficar bem. Além disso, parecia saber sempre onde Maria estava e a que horas. Mesmo quando não a via todo o dia. Mesmo quando Maria não dizia nada.

Sugerir correcção
Comentar