Decretada a detenção de três pessoas na sequência de colapso no Rio de Janeiro

Autoridades brasileiras tentam localizar construtor e imobiliários. Bombeiros ainda tentam encontrar três desaparecidos, uma semana após a tragédia.

Construções que desabaram no Rio de Janeiro eram ilegais
Foto
Construções que desabaram no Rio de Janeiro eram ilegais Sergio Moraes / REUTERS

A Justiça brasileira decretou a prisão preventiva de três suspeitos no desabamento de dois prédios de habitação na favela de Muzema, na zona Oeste do Rio de Janeiro, na passada sexta-feira dia 12 de Abril.

As construções eram ilegais e José Bezerra de Lima, construtor dos imóveis, foi apontado como o primeiro responsável pela derrocada. Renato Siqueira Ribeiro e Rafael Gomes da Costa foram os homens que executaram a venda das habitações, sendo também visados pelas autoridades brasileiras.

“Entendemos que a pessoa que constrói um prédio daquela forma, naquelas circunstâncias, assume o risco pela morte daquelas pessoas”, afirmou Adriana Belém, responsável pelo caso, à TV Globo.

Os três homens estão em parte incerta e, de acordo com a imprensa brasileira, as autoridades pediram auxílio à população para os localizar.​

O colapso dos dois edifícios causou vinte mortos e mais de uma dezena de feridos. Uma semana após o acidente, os bombeiros ainda tentam localizar três pessoas desaparecidas nos escombros.