O início das celebrações da Páscoa pelo mundo

Um pouco por todo o mundo, os cristãos celebram a Sexta-Feira Santa.

Antigua, na Guatemala Reuters/LUIS ECHEVERRIA
Fotogaleria
Antigua, na Guatemala Reuters/LUIS ECHEVERRIA

As agências de notícias internacionais mostram como os cristãos por todo o mundo vão iniciando as celebrações da Páscoa, em memória da crucificação e ressurreição de Jesus Cristo. Na Índia, em Jersusalém, na Suíça e sem esquecer o Vaticano, o crucifixo é o símbolo comum em todas as cerimónias por entre igrejas e ruas iluminadas à luz das velas.

A Via-Sacra no Coliseu de Roma, esta Sexta-Feira Santa, vai recordar em 14 estações todas as vítimas do tráfico humano, em especial os menores, as mulheres forçadas à prostituição e os migrantes.

Este ano as meditações da Via-Sacra foram confiadas à religiosa Eugenia Bonetti, uma missionária da Consolata que é também presidente da associação "Slaves no More" ("Escravos Nunca Mais", em português), que se tem dedicado à defesa dos mais explorados e excluídos da sociedade.

Logo na primeira Estação, inspirada pela figura de Pôncio Pilatos que presidiu ao julgamento de Cristo, a irmã Eugenia Bonetti propõe rezar “por aqueles que têm papel de responsabilidade, para que ouçam o grito dos pobres” e por “todos aquelas jovens vidas que, de diversas maneiras, são condenadas à morte pela indiferença gerada por políticas exclusivas e egoístas”.

A partir da figura de Jesus, que caminha fustigado pelos soldados e maltratado pela multidão, a religiosa exorta a olhar para os rostos dos “novos crucificados de hoje”, como “os sem-abrigo, os jovens sem esperança, sem trabalho e sem perspetivas, os imigrantes forçados a viver em barracas, à margem da sociedade, depois de terem enfrentado um sofrimento sem precedentes”.

O itinerário da Via-Sacra desta Sexta-Feira Santa, em Roma, convida a rezar também pelos mais novos que sofrem, pelas “crianças discriminadas por causa de sua origem, da cor de sua pele ou de sua classe social”.

Para a religiosa, é essencial que hoje a sociedade tenha a capacidade de “pedir a Deus para que a ajude a amar” os mais fracos e oprimidos, “e a não ser insensível ao choro, aos sofrimentos e aos gritos de dor dos outros”.

Durante esta Sexta-Feira Santa, as comunidades católicas de todo o mundo vão também ser desafiadas a interceder pelos mais novos que “não podem ir à escola”, que são atirados desde tenra idade para o trabalho forçado “nas minas, nos campos, na pesca”, para as crianças que são “vendidas e compradas por traficantes de carne humana, para transplante de órgãos, assim como usadas e exploradas… por muitos, inclusive cristãos”, realça Eugenia Bonetti.

O ritual lava-pés marca a semana Santa
O ritual lava-pés marca a semana Santa EPA/ATEF SAFADI
Igrejas encenam o momento em que Jesus viu a "luz" para a vida
Igrejas encenam o momento em que Jesus viu a "luz" para a vida EPA/ATEF SAFADI
Na Guatemala faz-se a procissão em honra Jesus Nazareno de la Humildad
Na Guatemala faz-se a procissão em honra Jesus Nazareno de la Humildad Reuters/LUIS ECHEVERRIA
Em Raeckelwitz, na Alemanha, renovam-se as cruzes que crucificaram Jesus Cristo
Em Raeckelwitz, na Alemanha, renovam-se as cruzes que crucificaram Jesus Cristo Reuters/MATTHIAS RIETSCHEL
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça, encenam-se cenas biblícas
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça, encenam-se cenas biblícas EPA/PABLO GIANINAZZI
Mumbai, na Índia
Mumbai, na Índia EPA/DIVYAKANT SOLANKI
Mumbai, na Índia
Mumbai, na Índia Reuters/AMMAR AWAD
Antigua, na Guatemala
Antigua, na Guatemala Reuters/LUIS ECHEVERRIA
Antigua, na Guatemala
Antigua, na Guatemala Reuters/LUIS ECHEVERRIA
Antigua, na Guatemala
Antigua, na Guatemala EPA/PIYAL ADHIKARY
Antigua, na Guatemala
Antigua, na Guatemala EPA/PIYAL ADHIKARY
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça EPA/PABLO GIANINAZZI
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça
Em Mendrisio, no cantão italiano da Suíça EPA/PABLO GIANINAZZI
Antigua, na Guatemala
Antigua, na Guatemala EPA/RAJAT GUPTA