Não há procuradores para as mudanças que aí vêm nos tribunais, avisa Lucília Gago

Como estão em falta duas centenas de profissionais são previsíveis situações de quase ruptura na sequência das correcções ao mapa judiciário que entram em vigor este mês.

Foto
Conselho Superior do Ministério Público, liderado por Lucília Gago Nuno Ferreira Santos

Não existem procuradores suficientes para os ajustes ao mapa dos tribunais de primeira instância que entram em vigor em todo o país já no próximo dia 23 de Abril. O alerta é do Conselho Superior do Ministério Público, órgão presidido pela procuradora-geral da República, Lucília Gago, que no início do mês aprovou por unanimidade o envio de uma declaração escrita à ministra da Justiça a manifestar a sua preocupação perante o cenário criado pelo Governo.