Ronaldo quer escapar a um Ajax com “isco” para pescar “tubarões”

Nesta terça-feira, às 20h, a Juventus recebe o Ajax, jogando com o empate conseguido em Amesterdão, enquanto o Barcelona será visitado por um Manchester United com missão espinhosa.

Os jogadores da Juventus fizeram o último treino pré-Ajax.
Foto
Os jogadores da Juventus fizeram o último treino pré-Ajax. LUSA/ALESSANDRO DI MARCO

Nesta terça-feira, em Turim, nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, a Juventus subirá ao relvado com o conforto relativo de um empate (1-1) fora de casa, obtido na primeira mão, mas com o desconforto absoluto de saber que, na eliminatória anterior, o Ajax eliminou o Real Madrid, em Madrid, por 4-1, depois de um resultado ainda mais desfavorável aos holandeses.

O Ajax quer provar a Cristiano Ronaldo, João Cancelo e restante armada da Juventus que aquela noite de Madrid não foi um acaso e que ainda guardou o “isco” certo para “pescar” os “tubarões” da Champions.

O Ajax sabe que terá de marcar, pelo menos, um golo neste jogo, sendo que um empate com golos poderá dar passagem ou valer prolongamento (mais eventuais penáltis). A propósito: a Juventus venceu dez dos 18 desempates por penáltis que disputou até hoje, enquanto o Ajax venceu apenas três dos nove que enfrentou, perdendo os cinco que teve de disputar em competições europeias.

O pecúlio histórico do desempate dos 11 metros não abona a favor dos holandeses, pelo que a receita a “cozinhar”, em Turim, poderá ser a mesma aplicada na primeira mão e, sobretudo, a mesma aplicada em Madrid, nos oitavos-de-final: subjugar o adversário, com bola, apostando não só em recuperações em zonas adiantadas como em não dar aos centrais italianos referências de marcação. A dinâmica e mobilidade dos holandeses colocaram a Juventus em apuros, na semana passada, podendo a equipa de ten Hag queixar-se da falta de eficácia.

Na Juventus, Ronaldo está “fresco”, porque descansou no fim-de-semana, tal como os prováveis titulares Bonnuci, Matuidi ou Pjanic, sendo que a utilização de Bentancur, frente à SPAL, poderá indicar mudanças no meio-campo: o uruguaio – talentoso, mas pouco intenso – deverá dar lugar a um mais consistente Emre Can. Já João Cancelo deverá ser titular à direita e “alvo” de um Ajax que canaliza mais de 45% dos seus ataques pelo seu corredor esquerdo.

Na antevisão do jogo, Massimiliano Allegri confirmou que não terá Chiellini e Mandzukic, mas não quis adiantar se o lugar do croata, no ataque, será para o jovem Moise Kean, em grande momento de forma, ou para Douglas Costa. “Será um deles ou nenhum dos dois”, disse, recusando dar detalhes.

Do outro lado, o Ajax tem uma preocupação: para além da ausência de Tagliafico, castigado, Frenkie de Jong, um dos “craques” da equipa, saiu lesionado no fim-de-semana, na vitória (6-2) frente ao Excelsior. Ainda assim, o treinador, Erik ten Hag, não entra em alarmismos. “Ele sentiu algo estranho no tornozelo e nós tirámo-lo por precaução”, disse, sobre o médio que se tornou, em Amesterdão, o jogador mais jovem com, pelo menos, 117 toques na bola num jogo da Champions, superando o recorde de Busquets.

É difícil dizer que a Juventus não é favorita – seja pelo valor individual, seja pelo factor casa e pelo golo marcado fora –, mas os italianos certamente sofrerão um golpe duro caso subestimem um Ajax que já mostrou do que é capaz. Mais: os milhões de fãs de Ronaldo deverão estar do lado da “Juve”, mas o habitual apreço do adepto comum pelo “underdog” deverá colocar boa parte da Europa a torcer pelo Ajax.

Um “tubarão” mais tranquilo do que o outro

Em Espanha, também há “tubarões” em campo e o Barcelona subirá ao relvado mais tranquilo do que o Manchester United. Um duelo que muito prometeu, mas pouco cumpriu, na primeira mão, tem, nesta terça-feira, o segundo round.

A equipa catalã parte com a vantagem da vitória em Inglaterra, por 1-0, e, em Camp Nou, a imprensa local espera uma de duas estratégias: entrar forte e resolver a eliminatória logo de início ou esperar que o United se “entusiasme” na procura do golo, para “matar” a questão no contra-ataque.

O Barcelona poupou, no fim-de-semana, jogadores como Messi, Suárez, Busquets ou Rakitic, enquanto Ole Gunnar Solskjaer não pôde entrar em grandes desvios, estando em plena luta pelos lugares de Champions, em Inglaterra.

Resultado da primeira mão, desgaste adversário e factor casa estão a favor de um Barcelona favorito a chegar às meias-finais.