Um arquivo online para assinalar os 130 anos do nascimento de Chaplin

O Charlie Chaplin Archive, que reúne o espólio do realizador acumulado ao longo dos seus 75 anos de carreira, foi disponibilizado na Internet para assinalar a efeméride do seu nascimento.

,Filme
Foto
Para assinalar os 130 anos do nascimento de Charles Chaplin, o Charlie Chaplin Archives digitalizou e catalogou o espólio do realizador reunido ao longo de 75 anos de carreira AP/AP

Na capa da edição de 26 de Maio de 1931 do Diário da Manhã, “jornal de doutrina política de informação”, entre notícias e comentários, relata-se que “duas bombas de grande potência foram largadas, em pleno dia, na Rua do Carmo”. Por cima do título, podemos ver uns números e contas anotados a lápis. O que é que isto tem que ver com Charlie Chaplin, o icónico realizador, actor, músico, escritor, e cómico britânico cujos 130 anos de nascimento se assinalam esta terça-feira, 16 de Abril de 2019? Os números dizem respeito à distribuição de Luzes da Cidade, o filme por ele assinado em 1931, na cidade de Lisboa.

Esta capa é apenas um dos inúmeros documentos, fotografias, telegramas, guiões, pautas e letras de canções, anotações, cartas, cheques e tudo o que se possa imaginar que estão disponíveis no Charlie Chaplin Archive, onde há, aliás, muitos outros detalhes sobre a distribuição dos filmes. Este arquivo, que reúne materiais dos 75 anos de carreira de Chaplin (1889-1977), do começo, novíssimo, nos palcos britânicos ao sucesso em Hollywood que lhe valeu um Óscar honorário, é uma empreitada conjunta da Roy Export, que detém os direitos da obra do cineasta, e a Cinemateca de Bolonha.

O arquivo está situado na Suíça, para onde Chaplin se refugiou com a família após lhe ter sido negada a entrada de volta aos Estados Unidos aquando da estreia de Luzes da Ribalta em 1952, e, ao longo dos anos, muito poucas pessoas tiveram acesso a ele. Neste momento, os documentos estão guardados nos Archives de Montreux, e as fotografias no Musée de l'Elysée, em Lausanne. A digitalização começou após o restauro de vários filmes de Chaplin no final dos anos 1990. Segundo Cecilia Cenciarelli, que coordena projecto Chaplin na Cinemateca de Bolonha, explicou à revista britânica de cinema Little White Lies, o arquivo ainda está a ser digitalizado e a sua versão online continuará a ser actualizada ou mensalmente ou sempre que haja uma data importante para assinalar.

Está lá de tudo, do itinerário de uma viagem de Charles e do seu irmão Sydney por Singapura, É possível pesquisar por filme, fase de produção de um filme, ou tipo de conteúdo, entre outros, ou apenas navegar por documentos, imagens, tópicos ou artigos. Neste último campo incluem-se textos sobre os já mencionados cheques, cartas da mãe de Chaplin, a relação do cineasta com o francês Jean Cocteau, com quem partilhou uma viagem de barco de regresso do Japão em 1936, ou o seu trabalho como realizador. Podemos ver, por exemplo, as indicações escritas pelo próprio, alguém com fama de controlador no que toca a actores, deixou para a actriz (e sua esposa) Paulette Goddard quanto à última cena de O Grande Ditador, de 1940, que incluem “Esquece toda a técnica e sê a Paulette Goddard.” Também há um artigo sobre o famoso discurso final do filme.

Esta não é a única celebração dos 130 anos do nascimento de Chaplin preparada. Os realizadores Peter Middleton e James Spinney fizeram, para o canal de televisão Showtime. Segundo a revista VarietyChasing Chaplin utiliza algumas das fotografias e documentos deste arquivo para contar a história do realizador utilizando as suas próprias palavras, centrando-se numa entrevista dada à revista Life em 1966.