Em matéria de pen USB, já não é preciso escolher entre ser bem ou mal comportado

Microsoft muda regras para a remoção de dispositivos USB nos computadores que têm instalado o Windows 10, na sua versão 1809.

Foto
Muitos acham que a vida é demasiado curta para a obrigatoriedade de se removerem os dispositivos em segurança, obedecendo a todos os passos MMM MIGUEL MADEIRA - PòBLICO

Durante anos houve momentos, em que em frente do computador, quando me preparava para retirar uma pen drive ou uma memória USB Flash Drive, ficava alguns segundos a decidir se nesse dia ia ser uma menina bem-comportada ou não.

Isto é, se levaria a minha mão direita ao rato do computador, em seguida arrastaria a setinha que aparece no ecrã até ao canto inferior direito do computador, clicaria na opção Eject USB Drive e só então me atreveria a retirar a pen do meu computador. Ou se sorrateiramente levaria a mão à memória USB Flash Drive e a arrancaria do computador sem dó nem piedade.

Olhando para trás, devo dizer que foram mais as vezes em que arranquei a pen (sem me preocupar se os meus ficheiros iam ficar corrompidos ou perdidos para sempre) naquilo que era para mim entendido como um acto de rebeldia, o meu momento diário de gritar “Je m’en fous” (estou-me nas tintas) sem ninguém o ouvir, do que as vezes em que cumpri a regra de remover o dispositivo em segurança. Não sou a única. Muitos acham que a vida é demasiado curta para a obrigatoriedade de se removerem os dispositivos em segurança, obedecendo a todos os passos.

Pois, desde há algumas semanas, tenho instalado no meu computador o Windows 10, na sua versão 1809. E uma das novidades é o Quick Removal, a remoção rápida dos dispositivos de armazenamento (que aparece configurada por defeito) em que já não é necessário usar o “complicadíssimo!” processo de remover hardware com segurança para proteger a integridade dos dados no dispositivo.

A outra opção, a de Melhor Desempenho, continua a existir nas preferências e explica a Microsoft nas informações sobre o novo Windows 10 essa opção “melhora o desempenho do sistema” porque o “Windows pode armazenar em cache as operações de gravação para o dispositivo interno”. Mas, alertam, nesse caso “deve continuar a usar-se o processo de Remover Hardware com segurança para remover a unidade externa”. Certo é que tanto com a opção Remoção Rápida como com a Melhor Desempenho não se pode estar a gravar alterações na pen drive quando se desliga o dispositivo do computador.

Embora Sean Hollister, num artigo no The Verge, assegure que apesar da Microsoft ter revelado recentemente esta mudança que existe desde Outubro no Windows 10, desde a época do Windows 7 que a empresa tem trabalhado na protecção dos dados dos dispositivos móveis. O que talvez explique porque é que ao longo dos anos os meus supostos actos de rebeldia não acabaram nunca em tragédia.