Preços da TAP entre a Madeira e continente são “inaceitáveis”, dizem deputados do PSD

As viagens para a Madeira têm, na altura da Páscoa, custos na ordem dos 600 euros, quando fora desta época os preços rondam os 100 euros.

Aeroporto da Madeira
Foto
Aeroporto Internacional da Madeira HOMEM DE GOUVEIA (arquivo)

Os deputados do PSD eleitos pela Madeira classificaram este Domingo como “vergonhosos” e “inaceitáveis” os preços das viagens aéreas que a TAP está a praticar na Páscoa entre a ilha e o continente português.

Numa iniciativa junto ao Aeroporto Internacional da Madeira, desde 2016 chamado Cristiano Ronaldo, o deputado Paulo Alves adiantou que o objectivo da acção partidária era “denunciar a vergonha dos preços que estão a ser praticados” nas viagens aéreas.

As viagens para a Madeira têm, nesta altura, custos na ordem dos 600 euros quando habitualmente ficam na ordem dos 100 euros. Na opinião do deputado social-democrata, esta é “uma situação absolutamente inaceitável”, sublinhando que “o Governo e a TAP estão a atingir o limite da decência e, os madeirenses, estão a atingir o limite da paciência” nesta matéria.

O parlamentar recordou que o partido “tem denunciado” esta situação dos altos preços e do sistema de apoio social de mobilidade nos últimos quatro anos, mas “o Governo da República não tem feito nada para alterar quer os preços, quer o sistema”.

Para Paulo Neves, a responsabilidade deve ser atribuída ao primeiro-ministro e aos partidos que apoiam o executivo nacional (BE e PCP) pelo “arrastar” desta situação. O deputado salientou ainda que o executivo madeirense “tem feito tudo para minimizar” o problema, adiantando o subsídio de mobilidade e facilitando a burocracia.

Paulo Neves ainda indicou que o partido entregou na Assembleia da República duas perguntas regimentais dirigidas ao Governo. Na primeira, questionam se o Governo da República” tem consciência dos preços que estão a ser praticados, nesta linha, concretamente agora, na altura da Páscoa”, perguntando na outra o que “tenciona fazer” sobre o assunto.

Os deputados sociais-democratas da Madeira realçam que a situação das ligações fica ainda agravada, “de forma inaceitável”, porque a TAP “decidiu não reforçar, este ano, o seu número de voos para a Madeira nesta quadra, ao contrário do que sucede sempre que existem alturas especiais”.

Relacionado com este problema, o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, anunciou este domingo que o seu executivo quer adoptar um regime que permita aos residentes no arquipélago comprar voos para o continente por um preço máximo de 86 euros.