Ensaio

Heterotopias

Ao contrário das utopias, lugares sem lugar real onde tudo parece perfeito, as heterotopias são, ainda nas palavras de Foucault, como um navio, um pedaço de espaço flutuante, o grande escape da imaginação.

Foto
Álvaro Domingues

NOVO Vivemos na época da simultaneidade, vivemos na época da justaposição, do próximo e do longínquo, do lado-a-lado, do disperso. Existimos num tempo, creio, no qual a nossa experiência do mundo se assemelha mais a uma rede que vai ligando pontos e se intersecta com a sua própria meada, do que propriamente a uma vivência que se vai enriquecendo com o tempo. Poderíamos, talvez, dizer que muitos dos conflitos ideológicos que animam as polémicas contemporâneas se desenrolam entre os piedosos descendentes do tempo e os obstinados habitantes do espaço. (1)