Arranque no GP da China dá liderança do Mundial a Hamilton

Britânico da Mercedes alcançou em Xangai a 75.ª vitória da carreira.

Foto
Reuters/THOMAS PETER

O arranque foi o momento que decidiu o Grande Prémio da China de Fórmula 1 e que deu a vitória na corrida e a liderança do campeonato ao britânico Lewis Hamilton. O piloto da Mercedes conseguiu, assim, a segunda vitória consecutiva da temporada, depois de já ter vencido no Bahrein, concluindo as 56 voltas neste domingo em 1h32m06,350s.

Lewis Hamilton, campeão mundial em título, partiu da segunda posição da grelha do Circuito Internacional de Xangai, mas assumiu a liderança logo no arranque, não mais perdendo o comando da corrida até à bandeirada de xadrez. “As rodas patinaram ao passar pela linha branca da meta e foi aí que perdi a corrida”, lamentou Valtteri Bottas, que largou do primeiro lugar da grelha, mas se viu relegado para a segunda posição logo na primeira curva da corrida.

Também o alemão Sebastian Vettel se viu ultrapassado pelo seu companheiro de equipa no arranque, o monegasco Charles Leclerc. No entanto, na 11.ª das 56 voltas previstas, Leclerc recebeu indicações das boxes para deixar passar o piloto alemão, que se mostrava mais rápido.

Os Mercedes mantiveram sempre um ritmo superior à concorrência e fizeram uma prova à parte. “O ritmo entre os dois era semelhante. Foram os detalhes que decidiram o resultado, mas esta foi apenas a terceira prova da temporada”, frisou Bottas, que não conseguiu voltar a atacar a liderança de Lewis Hamilton.

O finlandês, segundo classificado, terminou a prova a 6,552 segundos do colega de equipa, enquanto Sebastian Vettel (Ferrari) concluiu a corrida na terceira posição, a 13,744 segundos do vencedor.

Esta foi a 75.ª vitória da carreira de Lewis Hamilton, que está agora a 16 do recorde absoluto de vitórias no campeonato, na posse do alemão Michael Schumacher (91). “É um resultado incrível para a equipa, por ser uma vitória num GP histórico, por ser o milésimo”, começou por dizer Lewis Hamilton, considerando que “o arranque fez a diferença”. “O resto foi história”, acrescentou.

O piloto da Mercedes tem, agora, 68 pontos, contra os 62 de Bottas. O holandês Max Verstappen (Red Bull), que em Xangai cortou a meta na quarta posição, a 27,627 segundos do vencedor, é o terceiro classificado do campeonato, com 39 pontos. O alemão Sebastian Vettel é quarto, com 37, seguido de Charles Leclerc, com 36. “O pódio foi um bom resultado, mas não um grande resultado. Os Mercedes estiveram demasiado rápidos para nós”, resumiu Vettel.

A próxima prova do Mundial de Fórmula 1 realiza-se no dia 28 de Abril, no circuito citadino de Baku, no Azerbaijão.