André Ventura vai às urnas com o nome Basta

Durante as últimas semanas, a “frente de direita” encabeçada por André Ventura viu o Tribunal Constitucional chumbar a coligação por ter o nome do partido de Ventura. Oficialmente, o Chega não integra a coligação entre PPM e PPV.

Foto
LUSA/NUNO FOX

A coligação entre o Partido Popular Monárquico (PPM) e o Partido Democracia e Cidadania Cristã (PPV/CDC) vai a votos nas eleições europeias com o nome “Basta”, o terceiro nome apresentado aos juízes do Constitucional, que chumbou todos os anteriores​.

Apesar de já se ter constituído legalmente como partido, o Chega não integra formalmente a coligação, uma vez que ainda não reuniu em congresso. Contactado pelo PÚBLICO, André Ventura aponta para Maio a realização da primeira reunião magna do mais recente partido aprovado pelos juízes do Palácio Ratton, tendo anteriormente falado na vontade para que a reunião decorresse em Lisboa.

Na “Coligação Basta” haverá, ainda assim, pessoas ligadas ao Chega, com destaque para o próprio André Ventura. Também o movimento Democracia 21, que tinha prometido entregar as assinaturas em Setembro do ano passado e ainda não o fez, vai integrar a coligação de forma não oficial. 

Já antes houve tentativas de registar a coligação com o nome “Chega” e “Europa Chega" - à quarta passou a “Basta”. O Tribunal Constitucional tinha rejeitado que a coligação entre PPM e PPV tivesse o nome do partido de Ventura, uma vez que podia confundir os eleitores.

A lista terá como número um o professor e comentador televisivo André Ventura, que se tornou conhecido depois de ter proferido declarações sobre a comunidade cigana, quando era candidato do PSD à Câmara Municipal de Loures.

Como “número dois” surge Gonçalo da Câmara Pereira, do Partido Popular Monárquico. Sofia Afonso Ferreira, líder do movimento Democracia 21, e Manuel Matias, do Partido Democracia e Cidadania Cristã estão ainda entre os primeiros lugares da lista.

A lista completa será apresentada num jantar em Cascais neste sábado.

Ainda não são conhecidas propostas da Coligação Basta. As declarações de Ventura e os slogans — como “andamos a sustentar quem não faz nada?” — escolhidos para ilustrar os cartazes afixados em nome do Chega não abordam temáticas europeias, a sufrágio no próximo mês.

As eleições europeias decorrem a 26 de Maio de 2019, estando em disputa 21 lugares de deputados no Parlamento Europeu.