fvl Fernando Veludo/NFACTOS
Foto
fvl Fernando Veludo/NFACTOS

Megafone

Ser Voluntário …no Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS)

Queres fazer voluntariado mas não sabes por onde como começar? A rubrica Ser Voluntário dá uma ajuda.

Segundo o Inquérito Piloto ao Trabalho Voluntário, realizado em 2012, cerca de 12% da população residente com 15 ou mais anos tinha feito nesse ano voluntariado ou participado em acções de voluntariado. Um número, contudo, abaixo da média da União Europeia, que se situava nos 24%. Cada vez mais pessoas querem começar a realizar voluntariado regularmente, mas a questão muitas vezes colocada é: Por onde começar? Nós damos uma ajudinha.

Área Geográfica: Lisboa
Tema: Migrantes e Refugiados

O Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS) é uma organização internacional da Igreja Católica que tem como missão “acompanhar, servir e defender os refugiados, deslocados à força e todos os migrantes em situação de particular vulnerabilidade, estando actualmente presente em cerca de 50 países no mundo.

Em Portugal desde 1992, tem desenvolvido actuação nas seguintes áreas: apoio social, apoio psicológico, apoio médico e medicamentoso, apoio jurídico, encaminhamento e apoio à integração profissional, alojamento de imigrantes sem-abrigo, em situação de particular vulnerabilidade social (Centro Pedro Arrupe), acompanhamento a imigrantes detidos (Unidade Habitacional de Santo António), cursos de língua portuguesa e acções de formação, entre outras.

O JRS Portugal é ainda responsável pela coordenação-geral da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR) e pela gestão e acompanhamento técnico do Centro de Acolhimento de Refugiados (CATR) da Câmara Municipal de Lisboa. Para além da sua forte actuação na área da integração de migrantes e requerentes e beneficiários de protecção internacional, o JRS – Portugal desenvolve ainda acções baseadas na reflexão sobre a acção no terreno, a nível nacional e internacional.

Qual o impacto da associação?
Todos os anos, o JRS acompanha cerca de 2 mil pessoas provenientes de mais de 90 países. Em 2018, o Centro de Atendimento do JRS fez 9136 atendimentos e recebeu, em média, 40 pessoas por dia. Foi possível facilitar o acesso a emprego a 402 pessoas e oferecer acções de formação a 127. O JRS tem também estado na linha da frente da recolocação e reinstalação de refugiados em Portugal, através do seu papel enquanto responsável pelo Secretariado Técnico da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR), enquanto entidade de acolhimento de várias famílias em habitações autónomas e através da presença no Centro de Acolhimento Temporário para Refugiados (CATR), espaço gerido pela Câmara Municipal de Lisboa. Em 2018 foram acompanhados pela PAR 325 refugiados e 67 acolhidos no CATR

Como podes ajudar?
Existem várias oportunidades para contribuíres para a missão do JRS:

  • Apoio à procura de emprego, elaboração de currículos, contactos com empregadores;
  • Acompanhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade social, nomeadamente através de um processo de escuta activa e procura de respostas para diferentes situações, tais como fornecimento de bens alimentares e vestuário, encaminhamentos e aconselhamento associado a processos de regularização, acesso a serviços públicos, etc.;
  • Apoio à formação em várias áreas, tais como língua portuguesa, serviços domésticos, área da saúde e outras do interesse dos nossos utentes;
  • Apoio às actividades desenvolvidas no centro de acolhimento, no Centro Pedro Arrupe e no Centro de Acolhimento Temporário para Refugiados (CATR) da Câmara Municipal de Lisboa.

Quando precisam de mim?
A disponibilidade varia consoante cada oportunidade e deve ser vista junto do JRS.