O Jazz em Agosto viverá em 2019 sob o signo da resistência

Abre com as Songs of Resistance de Marc Ribot e ambiciona ser “grito colectivo clamando por um mundo mais justo”. Entre 1 e 11 de Agosto, ouviremos na Gulbenkian Heroes Are Gang Leaders, Mary Halvorson, Burning Ghosts ou Nicole Mitchell.

,Despertar Mandorla II: mundos emergentes
Fotogaleria
A flautista Nicole Mitchell reunirá no seu concerto as duas vertentes que fazem, simbolicamente, o mote do festival: a resistência política e a revolução musical DR
Fotogaleria
Marc Ribot protagonizará com as suas Songs of Resistance a abertura do Jazz em Agosto Ebru Yildiz
,Félix Saluzzi
Fotogaleria
Caberá à guitarrista Mary Halvorson o concerto de despedida, no qual apresentará o seu álbum Code Girl REUBEN RADDING
Fotogaleria
O trompetista Ambrose Akinmusire reúne jazz, soul e música de câmara em Origami Harvest DR

Terá, para arranque, as Songs of Resistance de Marc Ribot. Passará pela música dos Heroes Are Gang Leaders, criada sob a influência de Amiri Baraka, pela intensidade e veia reivindicativa dos Burning Ghosts e pelo caldeirão jazz-funk-hip-hop que Ambrose Akinmusire cozinhou para combater em som o racismo institucionalizado no seu país, os Estados Unidos. Terminará com um regresso, o da guitarrista Mary Halvorson, agora a apresentar Code Girl. O mote está perfeitamente definido: o Jazz Em Agosto 2019 viverá “sob o signo da resistência e do grito colectivo clamando por um mundo mais justo”, como lemos no comunicado de apresentação do festival.