O Melhor Pastel de Nata de Lisboa vive no Castelo

Concurso do festival Peixe em Lisboa deu primeiro prémio à pastelaria Santo António, de Lisboa, que fica a dois passos do Castelo de São Jorge.

Os pastéis de nata de Santo António
Fotogaleria
Os pastéis de nata de Santo António DR
Um momento da prova no concurso
Fotogaleria
Um momento da prova no concurso DR
O chefe pasteleiro da Santo António, João santos
Fotogaleria
O chefe pasteleiro da Santo António, João santos DR
O prédio da pastelaria, entre azulejaria, o milagreiro e os anúncios a apelar à doçaria e especialidades da casa
Fotogaleria
O prédio da pastelaria, entre azulejaria, o milagreiro e os anúncios a apelar à doçaria e especialidades da casa DR
Os pastéis de nata da Santo António apresentados a concurso
Fotogaleria
Os pastéis de nata da Santo António apresentados a concurso DR

É na Rua do Milagre de Santo António, n.º 10, que está o pastel de nata abençoado como O Melhor Pastel de Nata de Lisboa no concurso dedicado a estas jóias da doçaria portuguesa no festival Peixe em Lisboa. Os resultados saíram esta quinta-feira do forno e o júri premiou ainda a Aloma, também de Lisboa, com o 2.º lugar, e a Patyanne, de Castanheira do Ribatejo, com o 3.º.

A Pastelaria Santo António encontra-se num ponto turístico por excelência, de passagem para o Castelo, e, embora aberta há apenas cerca de dois anos, conseguiu suplantar, logo à primeira entrada nesta competição do pastel de nata (já em 11.ª edição), uma concorrência muito experimentada.

O presidente do júri deste concurso que abrange candidaturas de pastelarias e restaurantes da região da Grande Lisboa, Virgílio Gomes, realça os factores que fazem um bom pastel de nata, como o vencedor: “aspecto apetecível e bronzeado, sem estar queimado ou esmorecido, equilíbrio entre a massa, que deve ser bastante estaladiça e o creme, que deve ‘escorrer’ do pastel, sem ter gostos excessivos a canela, limão, baunilha ou outras essências.” 

Este ano, estiveram em competição 34 estabelecimentos com fabrico próprio, que foram avaliadas ainda por jurados como o enólogo Domingos Soares Franco, a chefe pasteleira Maria Urmal, Simonetta Luz Afonso, historiadora de arte e deputada municipal por Lisboa, Luís Segadães, presidente das 7 Maravilhas de Portugal (esta ano dedicadas, precisamente, à doçaria) e Isabel Zibaia Rafael, do blogue Cinco Quartos de Laranja. Os pastéis foram pontuados em prova cega numa escala de 0 a 10 em termos de aspecto, toque da massa, sabor e consistência da massa, recheio e sabor global.

O concurso decorreu durante a 12.ª edição d’O Peixe em Lisboa, o festival gastronómico dedicado à cozinha de mar que, até dia 14 de Abril, ocupa o Pavilhão Carlos Lopes. Durante o festival já tinha sido eleita também a Melhor Patanisca Lisboeta.