Tribunal Constitucional aceita partido Chega de André Ventura

Depois de avanços e recuos, partido de André Ventiura foi formalmente constituído.

André Ventura, ex-PSD, é agora líder do Chega
Foto
André Ventura, ex-PSD, é agora líder do Chega Mario Lopes Pereira

O Tribunal Constitucional (TC) decidiu aceitar a inscrição como partido político do Chega, fundado pelo ex-autarca André Ventura, lê-se num acórdão ao qual a agência Lusa teve acesso na terça-feira.

Na fundamentação do acórdão n.º 219/2019, em que recusam a coligação “Europa Chega”, os juízes do Palácio Ratton referem que, “através do acórdão 218/2019, prolatado hoje [terça-feira], o Tribunal Constitucional deferiu o requerimento tendente à inscrição de um partido político com a denominação “Chega"”.

O acórdão n.º 218/2019 ainda não foi divulgado pelo TC, mas ao longo do acórdão n.º 219/2019 os juízes referem por diversas vezes que a inscrição do partido foi aceite.

Este partido será reconhecido como tal - com a sigla, o símbolo e a denominação adoptados - imediatamente após a publicação em Diário da República da decisão que aceitou a sua inscrição, momento em que adquirirá personalidade jurídica, e a partir do qual poderá dar início às respectivas actividades”, acrescenta o texto.

Por isso, o Chega ainda não aparece na lista dos partidos políticos disponível no “site” do TC.

Em 23 de Janeiro, o presidente da Comissão Instaladora do Chega, André Ventura, entregou ao TC as assinaturas, os estatutos e a declaração de princípios exigidas por lei para formalizar a constituição de um novo partido.

Após ter detectado a existência de irregularidades diversas nas assinaturas entregues, em meados de Março o tribunal notificou os signatários para o facto de ter invalidado algumas.

A situação acabou corrigida por parte do Chega, com a entrega de mais assinaturas.

O último partido aceite pelo TC foi a Aliança, em 23 de Outubro de 2018, partido liderado por Pedro Santana Lopes.

O Chega será o 24.º partido político no país.