Tribunal europeu acusa Rússia de violar direitos do líder da oposição

Alexei Navalni foi posto em prisão domiciliária em Fevereiro de 2014, uma decisão que teve como objectivo “limitar as suas actividades políticas”, diz o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Alexei Navalni
Foto
Alexei Navalni LUSA/SERGEI ILNITSKY

O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos decidiu esta terça-feira que a Rússia violou os direitos do líder da oposição no país, Alexei Navalni, ao colocá-lo em prisão domiciliária, em 2014.

Alexei Navalni foi posto em prisão domiciliária em Fevereiro de 2014, enquanto ele e o irmão, Oleg Navalvi, eram investigados por corrupção num caso que os seus apoiantes dizem ter motivações políticas.

O tribunal de Estrasburgo disse que a ordem de prisão domiciliária não foi justificada e que as restrições às comunicações do líder da oposição foram desproporcionadas em relação aos crimes de que era acusado.

Segundo o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, “é evidente que ele foi tratado daquela maneira para que as suas actividades públicas fossem limitadas”.

Navalni congratulou-se com a decisão, dizendo nas redes sociais que foi uma “vitória”.

“Tenho a certeza de que esta decisão terá consequências importantes para todos os que na Rússia são constantemente sujeitos a este tipo de ilegalidades.”

O activista anti-corrupção de 42 anos é o rosto mais conhecido da oposição na Rússia. Tentou candidatar-se às eleições presidenciais em Março de 2018, mas foi impedido por ter uma condenação anterior.